Viver bem: Saiba como ser flexível pode te ajudar no dia a dia

A resiliência é um comportamento que faz a diferença no seu dia a dia e que ajuda a viver ainda melhor. Especialistas ensinam formas de desenvolvê-lo

A capacidade de lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos e resistir à pressão de situações adversas tem nome: resiliência. E o melhor é que ela pode ser desenvolvida.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal, GloboPlay grátis e descontos em dezenas de lojas, restaurantes e serviços!

Segundo a psicóloga Natália Freitas, é com o tempo e muito treino que se aprende a visualizar, compreender e, enfim, tomar decisões que serão as mais assertivas para enfrentar as dificuldades.

>> Clique aqui para ver o infográfico com dicas de bem-estar

“Não se engane. A sua resiliência aparecerá diante de uma situação difícil e delicada. Observe como estão os seus pensamentos com relação a esse momento específico. Olhe para si e entenda quais são as suas convicções. É um treino”.

Ela explica que muitas pessoas têm dificuldade para começar esse exercício e acabam desistindo no meio do caminho. Mas, na prática, é realmente difícil mudar crenças e convicções que são baseadas na sua experiência e história de vida.

“A resiliência é um comportamentos e não algo que faz parte da sua personalidade. São coisas diferentes. Quer dizer que é algo que se pode mudar, desenvolver e aprimorar ao longo dos anos”, diz Natália.

Para a especialista, cada um tende a ter o seu jeito de estruturar as áreas da resiliência para enfrentar as situações e as dificuldades de formas distintas. “As pessoas fazem e farão isso de maneiras diferentes. Tem a ver com uma série de fatores e é preciso ter em mente que não é algo que se muda da noite para o dia”, explica a psicóloga Natália Freitas.

Para o psicólogo Ricardo Pontes, ser resiliente em alguma situação ou setor não significa que você será sempre assim. “Isso pode acontecer de maneira fácil com a família e ser extremamente difícil no ambiente de trabalho. Ou ao contrário. O importante é buscar os motivos que fazem você lidar com isso de modo diferente”.

Caminho

Basicamente, o ideal é enfrentar as adversidades da maneira mais flexível e equilibrada possível. E saber que isso nem sempre vai acontecer.

“Em algumas circunstâncias, poderemos tomar esse controle. Em outras, seremos imaturos e desestruturados. Isso é um fato. Querer evoluir, crescer, exige que tenhamos plena consciência de que somos humanos, cheios de falhas e nem sempre lidaremos bem com as coisas”, resume Ricardo.

Ser resiliente não quer dizer que você não terá dificuldades, sentimentos conflituosos ou angústia. Dor, sofrimento e tristeza são comuns em todas as pessoas. E um caminho complicado certamente estará presente até você chegar a um nível de resiliência.

“O importante é manter o objetivo e o foco. Claro que muitas provações aparecerão, mas é fundamental sempre lembrar do motivo pelo qual você tomou a decisão de mudar”, explica o psicólogo Alberto Andrade.

Ele indica as características mais importantes de uma pessoa resiliente. E pede para começar esse treino ainda hoje. São elas: a capacidade de fazer planos realistas e tomar medidas para realizá-los, ter uma visão positiva de si mesmo e confiança em seus pontos fortes. Também não podem faltar: desenvolver habilidades em comunicação e resolução de problemas, além da capacidade de gerenciar sentimentos e impulsos fortes.

“Eu mesmo me treino todos os dias para ser resiliente. É preciso ser persistente e confiante em dias melhores”, conclui Andrade.

 

Tudo sobre: