Viver Bem: Flores e plantas em casa trazem benefícios à saúde física e mental

Estudos comprovam eficácia até para purificação do ar; médico relembra reconexão com a natureza

O amor é por elas celebrado, a delicadeza nelas se materializa, até da saudade é delas a afirmação. Mas a beleza das flores, e das plantas, está além do quanto tocam o coração de maneira sentimental – e, portanto, subjetiva. Essa relação é mais profunda e traz benefícios à saúde física e mental. 

Clique aqui e assine A Tribuna por apenas R$ 1,90. Ganhe, na hora, acesso completo ao nosso Portal, dois meses de Globoplay grátis e, também, dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Um estudo da Sociedade Americana de Ciências da Horticultura, de janeiro de 2008, mostra que um buquê de flores frescas pode fazer muito mais do que incrementar a decoração de um ambiente. 

A pesquisa foi realizada em quartos de hospital, com 90 pacientes em recuperação após cirurgia para remoção do apêndice. Alguns desses pacientes receberam flores e plantas em seus quartos durante o pós-operatório, enquanto outros não. A diferença na recuperação entre os dois grupos foi significativa.

Os pacientes dos quartos que receberam flores e plantas precisaram de menos quantidade de analgésicos no pós-operatório, o que foi relatado nas avaliações de dor, menores, bem como menos ansiedade e fadiga. 

Além disso, tiveram respostas fisiológicas mais positivas, como menores pressão arterial sistólica e frequência cardíaca, e mais sentimentos positivos e satisfação com seus quartos, quando comparados aos outros pacientes. 

“Os resultados da pesquisa sugerem que as plantas em uma ambiente hospitalar podem funcionar como um medicamento complementar eficaz para pacientes se recuperarem de uma cirurgia abdominal”. 

Mas não é preciso a situação extrema de uma internação para usufruir do benefício de uma presença florida. Isso pode – e deve – começar em casa. 

Reconectar

O mundo ao nosso redor nos influencia. A frase é um clichê, mas descreve bem a relação do ser humano com plantas e flores, a partir do seu papel no ambiente. 

O médico e psicólogo Roberto Debsky relembra: em ruas arborizadas, até a temperatura é amena, geralmente mais agradável ao ser humano. “O contato com a natureza dá uma percepção de bem-estar e a sensação de conforto é maior”. Assim, a natureza pode e deve ser levada para dentro de casa (ou do escritório, do consultório etc...). 

“O fato de se ficar fechado em um ambiente artificial traz uma carga de estresse. Se a pessoa gosta de plantas, o cuidar é um momento de relaxamento; elas têm o poder de nos conectar com a natureza”.

E o corpo agradece essa reconexão. Para Debsky, em nossas vidas atribuladas, esquecemos desse contato, com consequências danosas à saúde. 

“Vivemos afastados, muito tecnológicos. Moramos no litoral, mas não temos tempo de olhar a praia. A vida contemporânea é assim, em meio às máquinas. É preciso fazer pausas e procurar a natureza”.

Nova Jersey

Um estudo da Universidade de Nova Jersey, nos Estados Unidos, dividido em três partes, sugere que as flores são um poderoso indutor de emoções positivas.

Na primeira parte, mulheres que receberam flores relataram humores positivos até três dias depois. Na segunda parte, uma flor ofertada a homens e mulheres em um elevador provocou um comportamento social mais positivo do que outros estímulos.

E na terceira parte, flores dadas idosos (com mais de 55 anos) provocaram relatos de humor positivo e da memória episódica. Conclusão: as flores têm efeito imediato de longo prazo nas reações emocionais, humor, comportamentos sociais e até na memória, para homens e mulheres.

O estudo sugere que as flores evoluíram para induzir respostas comportamentais positivas em várias espécies, dessa forma facilitando a sua dispersão ou propagação. Ou seja, o bem-estar que nos causam é fruto da evolução, em nome da sobrevivência – das flores e plantas. 

Nasa

A Nasa – sim, ela mesma – realizou um estudo para descobrir maneiras de limpar o ar de estações espaciais. E descobriu que a função das plantas vai muito além de somente absorver gás carbônico e liberar oxigênio.

Elas ajudam a livrar o ar de substâncias tóxicas como formaldeído, benzeno, tricloroetileno e amônia. Veja a seguir algumas espécies utilizadas no estudo e que faz bem ter em casa.

Tudo sobre: