Descubra a importância do ascendente em seu mapa astral

A posição do Sol é muito importante, mas não é a única que influencia sua formação

Por: George Jorge e Márcia Bernardo  -  25/09/21  -  08:37
 O mapa astral influencia na formação do indivíduo em vários aspectos
O mapa astral influencia na formação do indivíduo em vários aspectos   Foto: Divulgação/Freepik

Conhecer o signo ascendente é tão importante na Astrologia quanto saber o signo de nascimento. Afinal, o que é o tal do ascendente? E como se faz para saber qual é o seu?


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


No passado, essa ciência-arte era utilizada somente por reis e voltada para assuntos políticos e interesses do país. Pessoas do povo não tinham acesso aos astrólogos e ao conhecimento de sua carta astrológica e tão pouco a possibilidade de saber o seu ascendente. Até hoje, muitos não conhecem a validade de um mapa astrológico, o que ele pode fornecer, mas conhecem a Astrologia pelos jornais através do horóscopo.


O signo que habitualmente todos conhecem, que se encontra pelo dia e mês do nascimento, é o chamado signo solar, que representa o seu caráter, as suas buscas individuais, as suas motivações internas, a sua lenda pessoal, sua luz e brilho interno. Não tente avaliar o brilho como sucesso, fama e notoriedade, mas sim a sua vocação e missão de vida. Onde se busca algo de mais pessoal, suas escolhas, onde você se sente bem consigo mesmo.


É importante esclarecer que são doze os signos do zodíaco, mas todos sabemos que a diversidade humana é muito maior que isso e que não existem doze tipos de pessoas e nem pessoas do mesmo signo são idênticas entre elas, se fosse assim, todo esse estudo seria uma grande tolice. Como se encontra esse signo no momento do seu nascimento é que irá lhe diferenciar de outra pessoa do mesmo signo. A posição do Sol é muito importante, mas não é o único, além dele, as posições dos outros astros e a relação que fazem entre si. Cada pessoa nasce numa determinada hora e minuto e aí se inicia a interpretação das diferenciações e objetivos de cada um, particularizando-o.


A hora de nascimento revela em que área da vida fluem os interesses pessoais práticos e através dela descobrimos o signo Ascendente. Se houver dúvida nesse horário em até uma hora, é possível fazer a retificação com precisão de minutos, utilizando algumas técnicas astrológicas para a corrigi-la. Mas caso não tenha, não será possível.


O momento de nascimento é único e não existirá um céu igual durante milhares de anos. Cada ser é único e tem uma característica única que o diferencia de qualquer outro por seu nascimento também único e que tem propostas únicas.


É contada como hora e minuto do nascimento, o momento da primeira respiração do bebê e aqui fazemos um apelo às maternidades para que a anotem o mais corretamente possível.


Para a confecção de uma carta astrológica, são necessários dois fatores: tempo e espaço. Pois o nascimento ocorre num determinado momento e local. Em termos técnicos, o ascendente representa o grau do zodíaco que se eleva no horizonte oriental no momento do nascimento. Representa a porta de entrada na vida, a sua primeira respiração, “o templo da alma”, a primeira impressão que temos de alguém, como os outros nos veem. A personalidade, a nossa relação com o mundo externo, a nossa forma de respondermos e percebermos a vida e de se interagir com ela, como se dão os inícios, a aparência física, o aspecto exterior. Fazendo uma relação do signo solar do nascimento com o ascendente, ele representa a porta de uma casa que se comunica com a rua, mas não se conhece essa casa por dentro.


O signo ascendente será o veículo que nos levará em contato com nós mesmos, o Sol. Um indivíduo do signo de Escorpião possui por natureza uma característica desconfiada, misteriosa, intensa e profunda, mas no caso de ter um ascendente em Gêmeos, a sua aparência será mais jovial, leve, curiosa, intelectual, aberto a informações e diversidades.


Ainda hoje é comum nos perguntar se é verdade que o signo Ascendente só será vivido após os 30 ou 40 anos. Essa informação não tem nenhum fundamento e deriva de uma matéria publicada anos atrás em uma revista já extinta. É por volta dessa idade que você tende a ir em busca de sua jornada pessoal, de sua autenticidade e o ascendente é aquele que nos auxilia a nos tornarmos aquilo que realmente somos.


Logo A Tribuna