Advogada de Santos adota cão cego após vê-lo em chamada na TV: 'Amor inexplicável'

Santista Maria Cláudia Vieira compartilha a história de adoção de Téo

Por: Marcela Morone  -  12/12/21  -  12:50
Amor à primeira vista
Amor à primeira vista   Foto: Arquivo Pessoal

Uma simples chamada na televisão foi o suficiente para mudar as vidas do pequeno Téo, um yorkshire, e da advogada santista Maria Cláudia Vieira. Ao assistir ao informativo do G1 Santos sobre três animais que haviam sido vítimas de maus-tratos, Maria Cláudia não mediu esforços para encontrar Téo, que, na época, estava com vários machucados e larvas nos olhos.

“Naquele momento, meu coração doeu demais, mas, ao mesmo tempo, se encheu de um amor inexplicável. Foi realmente amor à primeira vista”, lembra. A advogada conta ainda que procurou informações sobre Téo nas redes sociais e descobriu que o cãozinho estava na casa da funcionária pública Luciana Menezes, em Guarujá, como lar temporário, onde se recuperaria e, posteriormente, seria colocado para adoção.

“Naquela noite, eu nem dormi direito, estava ansiosaesperando uma resposta da Luciana e morrendo de medo de que o Téo já tivesse sido adotado”, diz. A resposta de Luciana veio na manhã seguinte, explicando que o yorkshire já era velhinho, cego e que tinha alguns problemas nos rins e um sopro no coração. No entanto, para Maria Cláudia, nada disso importava.

A advogada queria Téo exatamente do jeito que ele era. Luciana, que já tinha experiência em fornecer lar temporário para animais, comenta a experiência com muito apreço. “Eu me sinto extremamente feliz de ter salvo mais uma vida e de saber que o Téo agora está com uma verdadeira tutora”, conta.

Segundo Maria Cláudia, o dia da chegada de Téo em sua casa foi um dos melhores de sua vida. Assim, começou a nova fase do cãozinho em um lar cheio de amor e segurança. “Faria mil vezes a mesma coisa e muito mais para tê-lo. Na verdade, não fui eu que fiz ou faço alguma coisa por ele, mas ele que me faz um bem enorme todos os dias quando vem com aqueles olhinhos lindos cheios de amor e gratidão. Um amor puro, despretensioso, desinteressado, como deveria ser entre nós, humanos”, finaliza Maria Cláudia.


Logo A Tribuna