Top of Mind será em outubro, sob novos conceitos

Prêmio chega à 19a edição reconhecendo empresas e serviços

Por: Redação  -  24/07/21  -  12:19
 Se manter no ranking das queridinhas requer uma preocupação que vai além dos desejos e do bolso da clientela
Se manter no ranking das queridinhas requer uma preocupação que vai além dos desejos e do bolso da clientela   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

Em outubro, a região vai conhecer as empresas e serviços que não saem da cabeça e dos corações dos consumidores durante a 19º edição do prêmio Top of Mind, do Grupo Tribuna. Mas se manter no ranking das queridinhas requer uma preocupação que vai além dos desejos e do bolso da clientela. Atualmente, é preciso incluir na lista conceitos mais amplos para a coletividade.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


“Você ser Top of Mind é uma grande vitória, sem dúvida. Mas precisa de um pacote de vitórias para, no final do dia, não ser lembrado somente pela cabeça, mas também estar no coração do consumidor e fazer com que ele coloque a mão no bolso por você”, diz o publicitário e executive chairman da WMcCann, Hugo Rodrigues.


Fazer o consumidor se sentir em casa ao passear pelo Praiamar Shopping, em Santos, é um dos segredos do sucesso para atrair o público e conquistá-lo a ponto de se tornar referência na vida dele. Foi assim que a superintendente-geral Mariane Doconski conta que o shopping garantiu um título de Top of Mind na categoria. “O cliente tem que estar no negócio. Seja qual for, tem que se sentir bem, ser acolhido, bem tratado. Ter um atendimento especial. Ter suas necessidades atendidas, sentimentalmente falando, também”.


Seguindo nessa linha, o shopping aposta ainda em ações que gerem envolvimento, como abrir áreas para a diversão das crianças e permitir que as famílias frequentem o espaço com seus bichinhos de estimação. E tudo é apresentado ao público por meio de campanhas publicitárias.


“Tenho que mostrar o que a gente é, a nossa filosofia de atendimento, nossa proposta enquanto empresa e a programação momentânea. Pense em marcas consolidadas, como a Coca-Cola, que não deixa de investir nunca. Então, ainda que você tenha uma certa solidez, não é possível se dar ao luxo de não aparecer. O cliente precisa notar que você está ali e que faz parte da vida dele.”


Lições


Quem está de olho na premiação pode aproveitar as lições de quem não sai da mente dos moradores da região e se destaca quando o assunto é Top of Mind. “A gente tem uma história muito longa e credibilidade com a população e no meio médico. Investimos em tecnologia — buscando qualidade e agilidade — e também em comunicação com os clientes, facilitando o acesso aos serviços”, informa o médico e diretor-executivo do Instituto de Análises Clínicas de Santos (IACS), Arthur Ferreira.


Transformações


Santista, profissional com mais de 30 anos de experiência e vencedor de prêmios internacionais, Hugo Rodrigues explica que o mercado publicitário está em constante evolução, e os meios digitais são os responsáveis pelas transformações do setor na atualidade.


Segundo ele, as marcas devem ficar atentas a quem é o seu cliente, avaliando dados ou os chamados rastros digitais — ferramenta fundamental para entender os anseios dos consumidores.


“A marca tem que ser cada vez mais segmentada. Falar cada vez mais respondendo às demandas dos tipos de agrupamento que ela quer atingir. Mas não vai dar para ter uma voz única.”


Há novos conceitos entrando nessa conta, e três letras ganham cada vez mais espaço nas estratégias de marketing: ESG — em inglês environmental, social and governance —, referindo-se a questões ambientais, sociais e de governança. São atitudes que também têm impacto nas decisões de compra.


“Será que você vai ter que colocar suas campanhas em torno dos melhores serviço e preço ou vai ter de conscientizar a população e gastando para educá-la? E ela vai retribuir, investindo na marca por ser uma fonte de aprendizado? São perguntas para as quais não temos respostas. Temos de acompanhar para ver o andamento das coisas.”


Logo A Tribuna