Fórum de Educação em Santos debate a ‘vida faz de conta’ das redes sociais

A Região em Pauta, promovido pelo Grupo Tribuna, reuniu especialistas e jovens para o assunto

Por: Da Redação  -  05/11/23  -  20:02
Isabela acredita que as pessoas não mostram a vida real na internet
Isabela acredita que as pessoas não mostram a vida real na internet   Foto: Vanessa Rodrigues/AT

O mundo visto por meio das redes sociais não é real e pode trazer prejuízos para os adolescentes e até para crianças. Não, esta constatação não é de pessoas de mais idade, mas de jovens que estiveram no palco do auditório do Grupo Tribuna participando do A Região em Pauta. A opinião deles parte daquilo que veem no dia a dia.


O escritor Marcos Martinz, de 22 anos, disse que, quando era adolescente, seu quadro de depressão se agravou por causa do que via em espaços como o Instagram. “Eu acordava e pegava o celular. Então, estou tomando meu café preto com pão francês, minha margarina. Abro o Insta e uma influencer aparece numa lancha, tomando um café que parecia ceia de Natal. Ela tinha aquele corpo lindo, sol, amigos bonitos... Pensei: ‘Minha vida é uma porcaria’”, contou, ressaltando, ainda, que “o adolescente é a vítima perfeita desse padrão estético”.


Aluna do Ensino Médio, Isabela Costa pensa da mesma forma. E ela vai além, afirmando que as redes são um espaço de superficialidade e de “faz de conta”.


“É isso que vejo das pessoas, querendo postar tudo, mostrar que a vida é um mar de rosas. A gente sabe que não é. Postou, legal... Mas, vendo na vida real, ela é diferente”, destacou a garota.


Diante de tudo isto, a estudante Giovanna Senna, que está no Ensino Fundamental e é vereadora da Câmara Jovem de Santos, falou que o ideal é que os jovens acessem menos as redes. Afinal, em seu entendimento, a utilização excessiva desse recurso faz com que muitos vivam mais no ambiente virtual do que no verdadeiro.


“Existem jovens muito ligados à internet, passando 24 horas por dia no quarto (e conectados). A pessoa fica no celular, no quarto escuro. É só internet, internet… Elas esquecem que existe um mundo real fora das redes ou dos jogos”, ponderou.


Escolher influenciadores
Thatiana Antunes, da Unidade Municipal de Educação (UME) Pedro II, de Santos, concorda, e faz um alerta: os mais novos precisam tomar cuidado ao escolher as pessoas que vão seguir e acompanhar.


“Os influencers do Instagram são tóxicos. Ali, nada é de verdade. Todo mundo tem problema, tem dia que acorda mal. Pode estar na lancha tomando café, mas também tem problema. Então, tem que cair na real”, disse.


Isolamento é outro problema levantado
Existe outro problema levantado pelos jovens que é causado pelo uso indiscriminado do celular: o isolamento. Eles veem seus colegas de sala de aula cada vez mais fechados em seus mundos virtuais e distantes de se relacionarem de forma interpessoal. Os convidados de A Região em Pauta estão preocupados com essa situação.


Isabela Costa, por exemplo, disse que esse cenário relatado acima é muito comum na escola. “A pessoa posta a vida inteira, mas não conversa com ninguém. Não tem relação. Na sala, ao invés de conversar, fica no celular”, contou.


Comportamento
Giovanna Senna ressaltou que essa atitude é fruto de um comportamento impregnado na sociedade. “Os jovens estão muito ligados ao celular. Na minha classe, esquecem do mundo real e ficam no virtual, o que acaba prejudicando o ensino. A nova geração está conectada desde cedo. Com cinco meses de vida, já estão ligados na internet, porque o pai coloca o filho no celular para ver videozinho”.


Logo A Tribuna
Newsletter