Cidades da Baixada Santista oferecem atendimento psicológico

Atentas à saúde mental de alunos, professores e profissionais da educação, as prefeituras estão se mobilizando

Por: Da Redação  -  05/11/23  -  20:00
Estudantes recebem atenção de psicólogos nos municípios da Baixada Santista
Estudantes recebem atenção de psicólogos nos municípios da Baixada Santista   Foto: AdobeStock

Cientes da necessidade de cuidar da saúde mental de alunos, professores e profissionais da educação, as prefeituras da Baixada Santista estão se mobilizando. Muitas delas já contam com tratamentos e atendimentos específicos para o público. Além disso, a maioria dos municípios conta com psicólogos.


Exemplo disso é Guarujá. Na Pérola do Atlântico, a rede municipal de ensino possui uma equipe multidisciplinar, composta por um fonoaudiólogo, quatro assistentes sociais, sete psicólogos e oito psicopedagogos. Eles atendem à comunidade escolar diariamente. As ações acontecem de forma institucional, por meio de visitas periódicas a unidades, intervenções individuais e coletivas.


Por sua vez, Bertioga tem um serviço chamado Psicologia Escolar, cujo propósito é atuar nos aspectos que interferem no processo de aprendizagem. A Secretaria de Educação dispõe de dez psicólogos, além de dois psicopedagogos.


Mais ao sul da região, Mongaguá montou uma equipe técnica, que é formada por cinco profissionais, sendo quatro psicólogas e uma psicopedagoga. Elas atuam em todas as unidades de ensino e creche.


Em Itanhaém, encontra-se o Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAPI), que tem como meta identificar situações vinculadas ao contexto pedagógico, psicológico e social que gerem prejuízos nos processos de desenvolvimento, ensino e aprendizagem dos educandos. Atualmente, existem dois psicólogos efetivos no projeto.


Já Peruíbe, desde 2021, conta com dois psicólogos educacionais. Ambos trabalham de forma preventiva nas unidades escolares da rede municipal.


Com relação a Santos, a administração municipal informou que está em fase de contratação dos psicólogos educacionais, que deverão, em breve, começar a atuar nos colégios. Apesar disso, a cidade criou ações, como as Orientadoras Educacionais, que trabalham nas 86 unidades e realizam encaminhamentos através do Programa Saúde na Escola, para atendimento/acompanhamento psicológico aos alunos, sempre que necessário.


São Vicente, Praia Grande e Cubatão também foram procuradas, mas não responderam até o fechamento da edição.


Logo A Tribuna
Newsletter