Tribuna do leitor, de 27 de outubro de 2022

Hoje, com as participações de Flavio Viegas Amoreira, Alexandre Buciano Gobbi e outros

Por: ATribuna.com.br  -  27/10/22  -  06:03
Leitor comenta sobre proposta para reduzir lixo e desperdício nas feiras livres
Leitor comenta sobre proposta para reduzir lixo e desperdício nas feiras livres   Foto: Matheus Tagé/AT

Dúvida

Que importante encontro com 37 escritores ocorrerá no sábado (29), promovido pela Prefeitura de Santos! Celeiro de poetas, prosadores e dramaturgos, a cidade não cessa de repor estoque para a literatura brasileira. Só causa estranheza divulgar como maior atração culminando o evento com a biografia do roqueiro Champignon. Nada contra o rock, gênero que admiro, mas o pop já tem espaço garantido na mídia. Precisamos homenagear escritores e pensadores como Maria Valéria Rezende, Djamila Ribeiro e Pedro Bandeira, só para citar estrelas nacionais santistas. Gostaria saber de quem foi a ideia... Tempos estranhos.

Flavio Viegas Amoreira - Santos


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Roberto Jefferson (1)

No domingo passado, o povo teve a prova que precisava da qualidade dos políticos que compõem o nosso parlamento brasileiro. Depois de ter ganhado de presente uma prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica, o ex-deputado federal Roberto Jefferson achou que poderia fazer tudo que lhe viesse à cabeça, inclusive faltar com o respeito com a ministra Cármen Lúcia, do STF. Este senhor, que queria sair candidato a presidente da República, mostra claramente o nível das pessoas que governam o nosso país. Apoiador do atual presidente, esse ex-parlamentar mostra a cara da política que quer continuar governando o nosso Brasil. O que deixa grande parte dos brasileiros indignados são as caras de pau dos apoiadores do atual presidente rapidamente virem a público chamar o ex-deputado de ‘criminoso”, tentando desvinculá-lo de sua campanha.

Josemilton de S. e Silva - Vicente de Carvalho


Roberto Jefferson (2)

Gostaria que o leitor pensasse a respeito: como vocês acham que seria a ação da polícia se tivesse que prender alguém na favela que fosse pobre, preto ou pardo (mesmo sendo inocente) e fosse recebido a bala, em vez da mansão do Roberto Jefferson?

Edison José de Aguiar - Cubatão


Ciclofaixa Guarujá

Gostaria de “parabenizar o grande gênio” da Prefeitura do Guarujá pela nova ciclofaixa em frente à rodoviária. Já vi ideias idiotas, mas essa superou as expectativas. Diminuir faixa de rolamento em um local de grande movimento (acesso a Vicente de Carvalho), atravessar a mesma para seguir sentido Vicente de Carvalho e então voltar a duas faixas... Primeiro que ciclista não respeita, em muitos casos, ciclovias/ciclofaixas, conforme o fato lamentável ocorrido em 25 de outubro. Segundo que moto não respeita ciclofaixas. Terceiro que o espaço para os veículos que saem da Alameda das Tulipas é muito curto para todos que viram em direção à rodoviária. Enfim, prefeitura que não faz nada de útil no trânsito. Ao invés de colocar catadióptricos em toda a extensão da Av. Santos Dummont, que para quem não conhece é muito perigosa à noite, ficam gastando tempo e dinheiro com essas ideias mirabolantes.

Fabricio Leonardo - Guarujá


Restos de feira

Sábia proposta de Pedro dos Santos Neto ao vereador Roberto Oliveira. Os feirantes poderiam valorizar o sacrifício de moradores que têm suas ruas interditadas em dias de feiras livres, jogando em sacos plásticos os restos durante suas atividades. Tratar-se-ia de providência simples e, como diz o Pedro, anteciparia a limpeza e liberação do logradouro para seus moradores e munícipes que se utilizam das vias. Quanto à Prefeitura, esta poderia se envolver tanto na aplicação da proposição do Pedro quanto na fiscalização da efetiva utilização dos sacos! O vereador está ciente desta sugestão? Sobre os irmãos que às vezes são vistos catando estes refugos para ter o que comer, a Prefeitura poderia instalar pranchas sobre cavaletes (seriam colocadas e retiradas pela CET) para centralizar frutas e legumes que não seriam vendidos. Uma forma de amenizar o sofrimento e a humilhação de buscar no chão algo para saciar a fome.

Alexandre Buciano Gobbi - Santos


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Ver mais deste colunista
Logo A Tribuna
Newsletter