Tribuna do Leitor - 3 de julho de 2022

Hoje, com as participações de Orlando Machado, Gilberto Tiriba e outros

Por: Redação  -  03/07/22  -  06:42
  Foto: Getty Images

Pense
Com o mundo em polvorosa na volta de pandemias, aumento da violência, corrupção em alta, fome, desemprego e crises financeiras, o que menos se precisa é de guerra entre os países, afetando toda a população do planeta. No Brasil, os partidos, em sua maioria, estão pedindo mais mulheres em cargos de confiança na vida política. Sobre esse mesmo assunto, realce para a declaração do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, indagando: “Se a Rússia fosse governada por uma mulher, a Ucrânia seria invadida?” É uma pergunta que certamente terá as mais variadas respostas, mas que deveria merecer séria reflexão e comentários de eleitores, colaborando para que novas medidas nesse sentido fossem aplicadas. O exemplo deveria partir dos próprios partidos, elegendo mais mulheres para cargos de comando da agremiação. Vale a pena tentar, pior do que está não vai ficar. Orlando Machado - Santos


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Apenas entender
Eu gostaria de entender por que diante de tantas atrocidades praticadas pelo Governo Bolsonaro, ainda existem inúmeros seguidores. Ele critica a vacina contra a covid (que está mais do que comprovado pela Ciência de que ela salva vidas), minimiza o racismo, é declaradamente a favor da homofobia, apoia escandalosamente a derrubada das florestas na Amazônia (que, diga-se de passagem, nos últimos três anos, teve alarmantes queimadas, as maiores entre agosto de 2018 e julho de 2021), defende a facilitação de acesso às armas, tentando driblar a resistência no Congresso. Além de tudo isso, faz cortes no valor de R$ 3,23 bilhões, atingindo órgãos ligados a pastas, como institutos e universidades, veta também verbas para ações de saúde e combate à pandemia – cortes esses que atingem ainda a rede de atendimento para pacientes com câncer. Fora isso, é um ser que não gosta de livros, e prefere lojas de armas do que bibliotecas. São esses e outros motivos que me fazem pensar: por que tantos seguidores? Gilberto Pereira Tiriba - Santos


Provas
Constantemente, lemos neste espaço pessoas acusando o atual presidente de tudo o que acontece no mundo, sem se preocupar em verificar a veracidade dos fatos e sem apresentar as devidas provas. Porém, quando se trata do ex-presidente Lula, essas mesmas pessoas ficam exigindo provas. Ora bolas, as provas estão nos autos dos diversos processos, pois o mesmo foi condenado em primeira, segunda e terceira instâncias judiciais, ficou preso e só foi liberado graças aos seus indicados ao STF, mas não foi absolvido, pois simplesmente anularam os julgamentos anteriores, alegando vício de competência. Portanto, as provas dos crimes estão nos autos, que serão arquivados não por absolvição e, sim, por prescrição em decorrência da idade do réu. Diante disso, proponho que sempre que agredirem o atual presidente que apresentem provas. O mesmo pau que bate em Chico também tem que bater em Francisco. Américo Hortas Filho - Santos


Artigos
Ratifico neste espaço minha constante alegria na leitura dos artigos de Alcindo Gonçalves, sempre cirurgicamente precisos, mercê do seu vasto conhecimento político, econômico e cultural. Antecipo que nunca fui petista, menos ainda comunista, como não sou bolsonarista. Muito pelo contrário. Odeio pessoas incultas travestidas de autoridade. Aprendi com a vida que corrupção e incompetência são irmãs siamesas, igualmente nefastas à população e ao País. Só os fanáticos e néscios, de qualquer dos lados, não percebem. Em seu último texto, sob o título A influência dos governos, de forma clara e até branda, Alcindo enumerou alguns poucos desastres administrativos do atual presidente, de uma longa lista de serviços, atitudes e discursos imprestáveis que não merecem ser lembrados. É passar do limite razoável tentar negá-los. As 670 mil mortes por covid-19 poderiam ser minimizadas não fosse a inqualificável atitude de não reconhecer a pandemia, retardar os procedimentos básicos e renegar a imperiosidade das vacinas; no meio ambiente, para quem tem olhos que enxergam, a ação dos criminosos ocorre à luz do dia, diante da inércia governamental, entre outros fatos. A negativa desses fatos ou é problema pessoal, desconhecimento inequívoco ou campanha eleitoral antecipada de 2024 com o fito de agradar aos incautos eleitores. Juan Manuel Villarnobo Filho - Santos


Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Ver todos os colunistas
Logo A Tribuna