Com 78% de aprovação, Escola Cívico-Militar é realidade São Vicente

A aprovação esmagadora do programa com 78% fez lembrar a confiança dos brasileiros nas das Forças Armadas

Por: Tenente Coimbra  -  28/09/21  -  06:51
  Deputado estadual Tenente Coimbra (PSL) apresenta projeto para pais em SV: audiência pública em maio
Deputado estadual Tenente Coimbra (PSL) apresenta projeto para pais em SV: audiência pública em maio   Foto: Divulgação

A escola municipal Jorge Bierrenbach Senra, no bairro Jardim Rio Branco, em São Vicente, no litoral de São Paulo, foi a escolhida para integrar o Programa Nacional da Escola Cívico-Militar (Pecim).


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Após a escolha da escola, foram realizadas audiências públicas com a presença de um representante do MEC para que a comunidade escolar entendesse o programa e, uma consulta pública, que é o dia da votação (pelo sim ou não) entre pais e corpo docente. Saímos vitoriosos dessa batalha! Agora vamos para a contratação e capacitação dos militares e, enfim, a implementação do Modelo Cívico-Militar na escola. A aprovação esmagadora do programa com 78% fez lembrar a confiança dos brasileiros nas das Forças Armadas que beira os 80%, sendo a instituição com a maior credibilidade do país.


O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma iniciativa do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa, que apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógico e administrativa, com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares.


O País conta hoje com mais de 200 escolas cívico-militares, que já indicam registros positivos da educação, após a instalação dessas unidades. São eles a melhora no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), redução significativa na evasão escolar e o aumento de alunos estudando no ensino correto.


Como presidente da frente parlamentar pela implantação das Escolas Cívico-militares e coordenador do tema no Estado de São Paulo acredito ser de suma importância para as cidades receber uma Escola Cívico-Militar, já é comprovado o aumento de 20% da nota no IDEB, diminui 50% a evasão escolar, mais de 70% de alunos no ano correto, só traz melhorias na educação.


As escolas cívico-militares visam o desenvolvimento da aprendizagem na gestão escolar e disciplinar, a fim de contribuir com a ordem e a segurança do ambiente educativo.


Com o nosso trabalho conjunto, São Paulo será o Estado com o maior número de escolas cívico-militares.


Lembro que, no modelo cívico-militar, os militares não realizam funções que sejam dos profissionais da educação. A proposta do modelo é unir o ensino tradicional com fundamentos disciplinares voltados à convivência do cidadão com a sociedade.


A experiência dos Colégios Militares, que são modelos para o Programa das Escolas Cívico MIlitares, nos mostra que quando você faz ações voltadas à melhoria da infra estrutura, coordenação de rotina, tarefas cívicas (focadas nos direitos/deveres), acompanhamento psicopedagógico, apoio e participação ativa da família, os resultados refletem dentro da sala de aula, gerando maior produção do aluno com os protagonistas da educação: os professores.


A Educação deve ser sempre prioridade e, por isso, esse projeto é uma das nossas principais bandeiras.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna