Rueda ainda precisa resolver situação de Cleber Reis

Presidente do Santos vem resolvendo pendências econômicas e dentro do elenco. Zagueiro é um dos casos mais urgentes

Por: Bruno Gutierrez  -  30/06/21  -  08:24
 Cleber Reis tem contrato até janeiro de 2022 com o Santos
Cleber Reis tem contrato até janeiro de 2022 com o Santos   Foto: Ivan Storti/Santos FC

Andres Rueda é o homem certo na hora, até o momento, para estar na presidência do Santos. No comando do clube e com uma postura correta, vem resolvendo os graves problemas financeiros do clube. Alguns já foram sanados, outros foram renegociados e, aos poucos, vão sendo quitados.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Nesta área, faltam poucas coisas a serem renegociadas/acertadas. Uma delas é o caso da prioridade na venda de Gabriel Barbosa, onde o Barcelona pode acionar o clube na Fifa. E o caso Doyen, na eterna compra do Leandro Damião.

Já dentro de campo, o presidente também vem solucionando algumas questões delicadas. Rescindiu o contrato de Sabino, que foi para o Sport Recife e conseguiu emprestar o atacante Rodrigão. Já Jonathan Copete não teve o vínculo renovado. Os três possuíam salários que não condiziam com a situação dos mesmos dentro do elenco. Laércio também deixou o clube.


Além disso, jogadores como Arthur Gomes, Allanzinho e Guilherme Nunes foram emprestados, desafogando o inchado elenco santista. Rafael Longuine é um que deve deixar o clube em breve, após o término do contrato. Por fim, na terça-feira (29), o Santos oficializou a rescisão de contrato com o goleiro Vladimir, que deixa o clube após 14 anos.


Com isso, o caso mais urgente dentro do elenco a ser resolvido passa a ser Cleber Reis. O zagueiro tem um contrato com valor alto para quem está fora dos planos. Agora, faltam praticamente seis meses para o término do vínculo. Mas é preciso entrar em um acordo para se economizar esses valores.


Quando chegou, Cleber Reis trouxe a esperança de ser um jogador mais experiente, que poderia ocupar um espaço na defesa santista. No entanto, viu a consolidação de Lucas Veríssimo, hoje zagueiro de Seleção. Além disso, problemas com lesões deixaram o defensor mais longe ainda de uma briga por vaga no time.


Não demorou muito para uma série de empréstimos, onde só ficou constatado que Cleber, infelizmente, não seria útil dentro do Santos. O alto valor investido nele, ainda, levou o Santos a punições da Fifa após o clube não honrar os pagamentos com o Hamburgo.


Seria bom, para Santos e Cleber Reis, por um fim nessa passagem. Essa relação se desgastou cedo. E o custo disso já foi alto demais para o clube, além de ter prejudicado a trajetória de um zagueiro que chegou com muita expectativa, mas que passou longe de corresponder.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna