Data Fifa e cartões podem ser cruéis (e cruciais) para o Santos no Brasileirão

Convocações de estrangeiros e risco de perder atletas, com elenco curto, pode colocar em risco vaga no G-6

Por: Bruno Gutierrez  -  08/11/18  -  22:06
Elenco santista terá prova de fogo durante reta final do Campeonato Brasileiro
Elenco santista terá prova de fogo durante reta final do Campeonato Brasileiro   Foto: Ivan Storti/Santos FC

Desde que chegou ao Santos, o técnico Cuca já deixou claro que a luta do Alvinegro é por uma vaga na Copa Libertadores da América de 2019. E, até o momento, o elenco tem ido bem missão dada pelo seu comandante. Somente no returno, o Peixe tirou 12 pontos de diferença para o Atlético-MG, hoje sexto colocado no Campeonato Brasileiro - e dono da última vaga para a pré-Libertadores. No entanto, justamente na reta final, a dor de cabeça pode aumentar.


Faltando seis rodadas para o fim do Brasileirão, o Santos tem 46 pontos, assim como o Atlético-MG e Cruzeiro (já garantido na Copa Libertadores). O trio ainda é seguido por Atlético-PR, com 43 pontos, além de Fluminense e Bahia, ambos com 40 pontos. Os dois primeiros ainda lutam por uma vaga na final da Copa Sulamericana, cujo o título também dá ao campeão uma vaga no principal torneio continental da América do Sul.


O problema é que, apesar da boa fase, o elenco do Peixe não é tão robusto assim. E justamente num período crítico, corre o risco de perder peças importantes e necessárias. O primeiro desafio será na próxima segunda-feira (12), contra a Chapecoense, no Pacaembu, onde o time não contará com o lateral-direito Victor Ferraz, o volante Diego Pituca e o atacante Gabriel, artilheiro da competição. Todos suspensos.


A defesa preocupa, já que Luiz Felipe está machucado, Lucas Veríssimo ainda não está 100% e Robson Bambu deixa o clube neste fim de semana. Somente com Gustavo Henrique 100%, é capaz que o treinador do Peixe seja obrigado a improvisar na zaga com a entrada de Yuri ou Alison na função, por exemplo.


Para os próximos duelos, contra Flamengo (fora), América-MG (casa) e Botafogo (casa), os desfalques são Carlos Sánchez e Bryan Ruiz, convocados por Uruguai e Costa Rica, respectivamente. A lista ainda pode ser maior se Derlis González for convocado pelo Paraguai, de Juan Carlos Osorio, que é admirador do futebol do atacante santista. Outros jogadores ainda correm o risco de receber o terceiro cartão amarelo contra a Chape, como o próprio Lucas Veríssimo, Dodô, Bruno Henrique e Derlis González. A lista poderia ser maior se Léo Cittadini estivesse sendo utilizado por Cuca.


As próximas quatro rodadas serão cruciais para as ambições santistas em 2018 e para o planejamento do clube em 2019. Se Cuca conseguir atravessar a tormenta deste período sem muitos problemas, o time chegará com moral para o duelo direto por uma vaga na pré-Libertadores contra o Galo. Se estas ausências pesarem no elenco, talvez essa partida contra os mineiros possa ser o balde de água fria em tudo que Cuca e a torcida almejava para o próximo ano.


E, vale lembrar: Sem Libertadores, menos premiações, menor exposição, menos recursos e menor investimentos. Em um elenco que já é reduzido, e que pode perder atletas como Gabigol e Dodô para 2019, é vital que a vaga venha. Caso isso não ocorra, o planejamento será modesto para o clube e, provavelmente, o ano será sofrido nas arquibancadas.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna