Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

A explosão de Lukaku, um camisa 9 completo

Com caminhão de gols pela Internazionale, atacante belga prova que é possível aliar qualidade técnica e força física

Por: Bruno Rios  -  26/02/21  -  09:35
Atualizado em 26/02/21 - 10:10
Atacante belga prova que é possível aliar qualidade técnica e força física
Atacante belga prova que é possível aliar qualidade técnica e força física   Foto: Divulgação/Internazionale

Quem teve a oportunidade de ver a vitória da Internazionale por 3 a 0 sobre o Milan, no último domingo (21), pela 23ª rodada do Campeonato Italiano, não só curtiu um belo clássico valendo a liderança da competição como pôde conferir mais uma exibição de gala do atacante Lukaku.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


A cada dia fico mais impressionado com a força física e a inteligência do belga de 27 anos. Além de ser um verdadeiro trator para cima dos zagueiros rivais, ele tem uma incrível consciência tática, faz gols a rodo e brinda os colegas de time com suas assistências. É um camisa 9 completo, item cada vez mais raro nos dias de hoje.


Para quem ainda acha um vexame o Brasil ter sido eliminado na Copa do Mundo de 2018 pela Bélgica, faço uma pergunta na lata: qual atacante brasileiro reúne as mesmas características de Lukaku e seria um rompedor capaz de formar a dupla perfeita com o driblador Neymar?


A resposta é simples: não temos um jogador de qualidade e com essas características desde Adriano, que coincidentemente foi referência no setor ofensivo da mesma Internazionale com seus gols, porte avançado e passes para lá de açucarados aos companheiros na década retrasada. Sem meias palavras, ficamos para trás neste quesito.


Na atual edição do Campeonato Italiano, Lukaku fez 17 gols e deu cinco assistências. Isso resulta em praticamente uma participação em gol por rodada. E com o camisa 9 não tem o papo de sumir nos jogos decisivos.


Para o torcedor da Inter, nada é mais importante do que vencer o clássico ante o Milan. No domingo, contra o maior rival, o belga não só deu um passe primoroso na cabeça de Lautaro Martínez para abrir o placar como, na etapa final, protagonizou uma arrancada de cinema para atravessar quase meio campo e concluir com categoria, botando a bola no fundo da rede milanista.


O ápice de Lukaku me deixa feliz por três motivos. O primeiro é por provar que o futebol tem espaço a atacantes como ele e não é pelo fato de Messi ter feito sucesso no Barcelona tempos atrás como um falso 9 que todo time deve repetir essa fórmula.


O segundo? Cada gol do belga é um tapa na cara de racistas que o insultam desde sua chegada à Itália, em 2019. O atleta sempre lutou contra isso, cobrando ações das autoridades. O terceiro motivo é a volta por cima do jogador, após ser rotulado como vilão no Manchester United, que não soube aproveitar seu talento da melhor forma.


Ainda há um longo caminho a ser percorrido pela Internazionale em busca do título nacional que não vem desde 2010, na mágica temporada sob comando de José Mourinho que também teve a conquista da Liga dos Campeões da Europa.


O time segue apresentando oscilações e vem sendo moldado há quase dois anos pelo técnico Antonio Conte para voltar ao patamar de outrora. Mas hoje é fácil entender por que o treinador insistiu tanto na contratação de Lukaku. Com o belga em campo, dificilmente tem placar em branco, para sorte da Inter e de quem gosta de ver gols.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna