Carteira de habilitação gratuita: um passo para um novo emprego

Talvez o item que mais contribua para que o cidadão tenha dignidade seja o emprego

Por: Paulo Corrêa Jr  -  26/08/21  -  06:44
 Carteira de habilitação gratuita: um passo para um novo emprego
Carteira de habilitação gratuita: um passo para um novo emprego   Foto: Divulgação/Ministério das Cidades

Empregado, ele coloca a comida na mesa e consegue um teto para morar. Atualmente os índices de desemprego em nosso país são alarmantes. Parte por conta da estagnação da economia que sofre um duro golpe trazido pela pandemia, parte por falta de qualificação de mão de obra. Muitas vezes faltam empregos e outras, quando surgem as vagas, falta para o interessado o preparo para a função.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Diante desse cenário, consegui aprovar um projeto de lei junto a Comissão de Transportes e Comunicações da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) que garante a gratuidade na obtenção da primeira CNH (Carteira Nacional de Habilitação) para pessoas com renda familiar mensal abaixo de dois salários-mínimos.


A ideia é possibilitar àqueles mais vulneráveis a condição de tornarem-se motorista e, a partir disso, apresentarem-se como candidatos a diversas funções que exigem tal qualificação. Dar acesso a essa condição é uma forma simples de gerar possibilidades e condição de trabalho ao cidadão.


A ideia é que esse benefício seja possível com a criação do Projeto Social de Formação, Qualificação e Habilitação Profissional de Condutores de Veículo Automotores e deverá passar por aprovação de outras comissões, tendo a necessidade de ser sancionada posteriormente pelo Governador.


O trabalho dignifica o homem. Precisamos dar atenção a ideias como essa.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna