Dicas de Português: Redação nota mil

Dad Squarisi dá dicas de português

Por: Dad Squarisi  -  10/01/21  -  09:40

Recado


“Escrever é cortar.” Marques Rebelo

Estudantes preparam-se para entrar na universidade. O assunto entre eles é o Enem. E, claro, a redação. A moçada sabe que escrever é mandar recado. A receita de uma sobremesa é um recado. O convite para a festa de aniversário é um recado. O horóscopo publicado no jornal é um recado. A prova que você faz na escola é um recado. A gente manda e recebe recados todos os dias.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Medo


E a dissertação do vestibular ou do Enem? É recado. Então por que aquele frio na espinha? Só de pensar nela as mãos ficam geladas. O coração dispara. O suor jorra. Os sintomas têm um nome – medo. Do quê? O que apavora é não ter nada para dizer.


Remédio


Qual a saída? Ser esperto. Você já leu muitos livros, revistas e jornais. Viu centenas de filmes. Conversou sobre variados assuntos. Assistiu a incontáveis telejornais. Está para lá de preparado. Tem assunto pra dar e vender. Na hora de dar o recado, fique calmo. E siga as dicas.


Dicas


1. Respire fundo. Três vezes. Devagarinho. Deixe o ar chegar lá em baixo, no fundão da barriga. Visualize o umbigo. Sorria para ele. Por dentro e por fora.


2. Leia o tema da redação. Entenda-o. Faça as outras provas. Enquanto você resolve questões de português, física, história, a cabeça vai pensando. Vai se organizando. Quietinha. Na hora de redigir, as ideias fluem como num passe de mágica. É só pôr no papel.


3. Planeje o texto: delimite o tema, defina o objetivo, selecione as ideias capazes de sustentar sua tese. Depois, faça um plano como o proposto no esqueminha:


Tema: o assunto geral do texto.


Delimitação do tema: aspecto do tema que vai ser tratado.


Objetivo: aonde você quer chegar com seu texto?


Ideias do desenvolvimento: argumentos, exemplos, comparações, confrontos e tudo que ajudar na sustentação do ponto de vista que você quer defender.


4. Vai um exemplo de plano:


Tema: Brasília


Delimitação: turismo em Brasília


Objetivo: informar as opções de turismo em Brasília


Ideias de desenvolvimento: Brasília monumental (palácios, catedral, torre, superquadras), Brasília ecológica (parques, cachoeiras), Brasília mística (Vale do Amanhecer, Cidade da Paz).


Com o plano feito, é hora de redigir. Mãos à obra.


5. Comece pelo começo. Escolha uma frase bem atraente. Pode ser uma declaração, uma citação, uma pergunta, um verso, a letra de uma música. Depois, desenvolva a tese. Cada ideia num parágrafo. Por fim, conclua. Com um fecho elegante.


6. Seja natural. Imagine que o leitor esteja à sua frente ou ao telefone conversando com você. Fique à vontade. Espaceje suas frases com pausas. Sempre que couber, introduza uma pergunta direta. Confira a seu texto um toque humano. Você está escrevendo para pessoas. Gente igual a você.


7. Use frases curtas. Com elas, você tropeça menos nas vírgulas, nos pontos ou nas reticências. "Uma frase longa", ensinou Vinicius de Moraes, "não é nada mais que duas curtas."


8. Ponha as sentenças na forma positiva. Diga o que é, nunca o que não é. Em vez de escrever "ele não assiste regularmente às aulas", escreva "ele falta com frequência às aulas".


9. Prefira palavras curtas e simples. Os vocábulos longos e pomposos criam uma barreira entre leitor e autor. Fuja deles. Seja simples. Entre duas palavras, prefira a mais curta. Entre duas curtas, a mais expressiva. Só ou somente? Só. Casa, residência ou domicílio? Casa.


10. Opte pela voz ativa. Ela deixa o texto esperto, vigoroso e conciso. A passiva, ao contrário, deixa-o desmaiado, sem graça. Compare:
• Voz ativa: Os alunos da 4ª série fizeram a redação.
• Voz passiva: A redação foi feita pelos alunos da 4ª série.


11.Abuse de substantivos e verbos. Seja sovina com adjetivos e advérbios. Eles são os inimigos do estilo enxuto.


12.Seja conciso. Respeite a paciência do leitor. A frase não deve ter palavras desnecessárias. Por quê? Pela mesma razão que o desenho não deve ter linhas desnecessárias ou a máquina peças desnecessárias.


13.Revise. Sua redação tem começo, meio e fim? Você defendeu seu ponto de vista? Escreveu parágrafos com tópico frasal e desenvolvimento? Respeitou a correção gramatical? (Redobre os cuidados com a pontuação, a regência, a crase, a concordância. Triplique a atenção com a passiva sintética – do tipo "vendem-se carros" – com o sujeito posposto ao verbo.)


14.Avalie. As frases soam bem? Sem cacófatos (por cada, por tão, uma mão, boca dela)? Sem rimas (rigor do calor)? Você começou bem? Terminou melhor? Tenha a certeza: uma vaga é sua.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna