Logo A Tribuna

Moradora de São Vicente é atacada por lacraia venenosa gigante e relata 'dor insuportável'

Jovem de 21 anos estava dormindo quando o ataque aconteceu.

Por: Alexandre Lopes  -  13/10/21  -  08:28
 Moradora de São Vicente foi picada por uma lacraia e ficou com o lábio bastante inchado
Moradora de São Vicente foi picada por uma lacraia e ficou com o lábio bastante inchado   Foto: Arquivo Pessoal / Foto Ilustrativa

Uma moradora de São Vicente, de 21 anos, foi picada por uma lacraia venenosa e ficou com os lábios extremamente inchados. Nataly Galdino estava dormindo quando o incidente aconteceu e chegou a encontrar o inseto, ainda vivo, na própria cama. Por conta da picada, a estagiária de comércio exterior precisou ser levada ao hospital.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Segundo especialistas, o veneno da lacraia não é capaz de matar uma pessoa. "Senti algo picar o meu lábio superior e vi que ela estava grudada no cobertor com a garra na minha boca. Eu puxei e ela não queria soltar. Foi uma dor insuportável. Liguei a luz, vi a minha boca cortada e a lacraia, gigante, na coberta", conta.


A estudante relata que chegou a ficar sem ar e precisou ser encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Noroeste, em Santos. Lá, ela foi medicada com remédios para alergia e para dor. Após duas horas na emergência, ela acabou sendo liberada e passou a se medicar na própria casa. O inchaço, porém, já começou a desaparecer.


As lacraias, também conhecidas como centopeias, são animais caçadores noturnos e têm o corpo adaptado para penetrar em frestas, onde se escondem durante o dia. Elas podem medir até 23 centímetros e se alimentam de insetos, lagartixas, camundongos e até filhotes de pássaros. Não há no Brasil relatos de morte nem de graves acidentes envolvendo o inseto.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna