CLUBE IMPRESSO ACERVO COVID
Moradora de Santos fica 18 horas no telefone com bandidos ao achar que filho seria decapitado
Familiar fez uma denúncia e quatro pessoas acabaram presas em flagrante.
Por: Alexandre Lopes  -  20/04/21  -  08:17
Aposentada fez vários pagamentos aos bandidos   Foto: Divulgação

Uma moradora de Santos, de 66 anos, ficou 18 horas no telefone, sem intervalo, com bandidos que afirmavam que haviam sequestrado e que decapitariam o filho dela. Segundo apurado por A Tribuna, quatro pessoas foram presas em flagrante por suspeita de extorsão.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O filho em questão mora em outro país. Mesmo assim, os bandidos insistiam em pedir dinheiro pelo resgate. A ligação começou às 18h de domingo (18) e continuou até 12h de segunda-feira (19). Durante todo o tempo, os marginais afirmavam que matariam o filho dela.


Sem saber o que fazer, a aposentada conseguiu reunir joias, bens materiais e dinheiro para entregar aos criminosos durante a madrugada. Já durante a manhã, segundo a polícia, um outro filho da vítima soube da ação, descobriu que o irmão estava bem e avisou a mãe.


Em um primeiro momento, a mulher não acreditou que se tratava de um golpe e resolveu dar mais dinheiro aos bandidos. Nesta hora, segundo a polícia, autoridades foram ao local onde o encontro havia sido marcado e conseguiram prender os marginais em flagrante.


"A quadrilha disse que sequestrou e decapitaria meu irmão. Minha mãe não conseguia acreditar que era mentira deles e eles já tinham pedido mais R$ 20 mil, após ela fazer o pagamento de noite. Isso a todo momento, eles a mantiveram ao telefone, exatamente para minha mãe não ter contato com ninguém. Então, liguei para a polícia, que me ajudou na mesma hora e flagrou os criminosos. A todo tempo aterrorizaram minha mãe. Ela está em estado de choque e triste. Foram cerca de 18 horas ao telefone, sem intervalo", finaliza o filho, que preferiu não se identificar.


Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.