Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Litoral de São Paulo adotará restrições em praias e pede ajuda para 'espantar' turistas

Prefeitos solicitaram ajuda ao Governo Estadual para fazer bloqueios sanitários.

Por: Alexandre Lopes  -  04/03/21  -  12:14
  Foto: Juliana Steil / G1

Algumas cidades do Litoral Sul e do Litoral Norte do Estado de São Paulo já começaram a anunciar medidas com relação ao uso das praias. Após o anúncio do governador João Doria (PSDB) de que todo o Estado regrediria para a Fase Vermelha do Plano São Paulo, prefeitos começaram a se manifestar sobre ações locais.


Em Santos, por exemplo, o prefeito Rogério Santos (PSDB) determinou, mais uma vez, que não será permitida a presença de ambulantes nas praias da cidade. Além disso, foi proibida a instalação de cadeiras e guarda-sóis. Também não será possível, como liberado anteriormente, praticar esportes coletivos como o futebol de areia.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Apesar do atual momento da pandemia ser pior do que no ano passado, quando a praia foi completamente bloqueada, não há planos, no momento, para que isso aconteça novamente. A ideia é que as atividades físicas permaneçam, por enquanto, liberadas. Com isso, caminhadas e corridas poderão continuar sendo praticadas.


As cidades da Baixada Santista, inclusive, pediram ajuda ao Governo Estadual para evitar a vinda de turistas à região, já que, até o próximo dia 19 de março, a região permanecerá na fase vermelha. De acordo com Rogério Santos, foram solicitadas barreiras sanitárias nas rodovias de acesso à Baixada Santista, além do aumento do efetivo da Polícia Militar na região.


Em São Vicente, o prefeito Kayo Amado (Podemos) também anunciou que as praias estarão liberadas para atividades físicas individuais. A administração afirmou que conta com a colaboração e o bom senso de todos, pedindo que as pessoas evitem aglomerações, respeitem o distanciamento social e usem máscara.


Fase vermelha
A Baixada Santista saiu da fase laranja e avançou para a fase amarela do plano de quarentena no dia 5 de fevereiro. Agora, a região passou para a fase vermelha, a mais restritiva, portanto, podem funcionar apenas setores essenciais da economia, como farmácias, supermercados, postos de combustíveis e transportes coletivos, como ônibus, trens e metrô (veja abaixo). Na atual configuração da fase vermelha, as escolas podem continuar recebendo alunos com o limite máximo de 35% da capacidade.


O que pode funcionar:
Farmácias
Mercados
Padarias
Açougues
Postos de combustíveis
Lavanderias
Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô
Transportadoras, oficinas de veículos
Atividades religiosas
Escolas
Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria
Bancos
Pet shops
Serviços de delivery ou entregas
Indústria
Construção civil


Estado
A Secretaria de Desenvolvimento Regional afirma que vai avaliar os pedidos em conjunto com outras pastas estaduais tão logo esteja de posse dos ofícios encaminhados pelas Prefeituras ao Governo de São Paulo. O Estado aposta no diálogo constante com os municípios na busca de ações conjuntas para conter o avanço da pandemia. Proteger a população e salvar vidas é uma responsabilidade de todos. O Plano São Paulo já estabelece uma série de medidas restritivas para conter a pandemia. Não há previsão de bloqueios nas rodovias paulistas. O DER e a Artesp vão promover campanhas nas redes sociais e nos PMVs (painéis de mensagens variáveis) para orientar e conscientizar os motoristas para que não viagem nos próximos dias.


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.
Logo A Tribuna