CLUBE IMPRESSO ACERVO COVID
Guarujá: Morador descobre ter 'ossos de vidro' após filha sofrer fratura antes mesmo de nascer
Doença foi retratada durante o seriado Vikings, disponível no Netflix, e é considerada extremamente rara.
Por: Alexandre Lopes  -  06/05/21  -  10:00
Pai e filha de Guarujá sofrem com a doença dos ossos   Foto: Arquivo Pessoal

Um morador de Guarujá, no litoral de São Paulo, descobriu ter a chamada 'doença dos ossos de vidro' após a filha dele, de apenas um ano, ser diagnosticada com a mesma doença. Elias Souza, de 36 anos, sofreu diversas fraturas ao longo da vida e nunca havia entendido os reais motivos da situação.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


Segundo a repórter Juliana Steil, o fato foi esclarecido após a pequena Maria, de 1 ano e 4 meses, sofrer sua primeira fratura no fêmur antes mesmo de nascer. De lá pra cá, já ocorreram outras duas. Até que o diagnóstico foi feito e ficou constatado que se tratava de uma herança genética.


O nome real da doença é osteogênese imperfeita. Por conta do histórico de fraturas do pai, o diagnóstico ficou mais fácil de ser feito. Agora, ambos precisarão de cuidados especiais para evitar novas lesões. Em muitas ocasiões, os ossos acabam se quebrando mesmo sem qualquer tipo de queda.


Uma das características da doença é o tom mais azulado da parte dos olhos que deveria ser branca. A situação é retratada na série 'Vikings', disponível no Netflix, onde o personagem Ivar, que vira o Rei de Kattegat em determinada altura, sofre com o mesmo problema.


Agora, a bebê deverá passar por um exame de DNA para identificar o grau da doença. O exame, porém, custa cerca de R$ 7 mil. Além disso, a bebê precisará passar por tratamento e tomar medicamentos para fortalecer os ossos, além de cirurgias de correção nas pernas, que cresceram de forma desigual.


Tudo sobre:
Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha editorial e ideológica do Grupo Tribuna. As empresas que formam o Grupo Tribuna não se responsabilizam e nem podem ser responsabilizadas pelos artigos publicados neste espaço.