EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

3 de Agosto de 2020

Morávia do Norte e Silésia: diversidade

Região localizada entre a República Tcheca, a Polônia e a Eslováquia, famosa pela mineração, hoje é um destino cheio de contrastes

Localizada em uma posição estratégica, entre a República Tcheca, Polônia e Eslováquia, a região da Morávia do Norte e Silésia é conhecida principalmente por ser um local de mineração e indústria pesada. Mas o fechamento de minas e fundições nos últimos anos, alinhado com medidas de proteção ambiental, fizeram dela um destino turístico diferente em comparação com o resto do país. Resumindo em duas palavras: contraste e diversidade.

Por um lado, possui um amplo leque de turismo industrial, situado principalmente na capital Ostrava e arredores, e que, ano a ano, atrai mais atenção dos turistas. 

Isso contrasta com a paisagem montanhosa, cheia de florestas e prados de Jeseníky e Bedkydy, além de um amplo legado de arquitetura popular, representada principalmente pela vil Stramberk.

Ela possui ruas de casas de madeira dos séculos 18 e 19. Ampliando o contraste ainda mais, é possível desfrutar de luxo e conforto no Prosper Golf Resort Celadna, de 36 buracos.

Quando ir - A melhor época para viajar é de abril a outubro, já que os museus, monumentos históricos e campos de golfe estão abertos e o clima é agradável. Para os amantes de esqui, do Natal ao início de março.

Ostrava

Vamos começar nosso passeio no lugar que melhor caracteriza esta região. Nenhuma cidade tcheca reflete o desenvolvimento tecnológico e a revolução industrial como Ostrava. A arquitetura industrial, com suas torres de mineração, seus altos-fornos e a vista da empresa Vítkovické železárny, representa uma experiência única e inesquecível, vendo a cidade do solo e do alto.

Há uma coisa que permanece escondida – a enorme cidade subterrânea onde milhares de pessoas trabalhavam dia após dia. Objetos técnicos excepcionais foram proclamados Monumentos Culturais Nacionais. Ver a cidade de Ostrava não basta, você deve apreciá-la e conhecê-la durante um de seus festivais e eventos.

A mineração e a indústria metalúrgica transformaram a cidade e deram a ela a imagem do coração do aço da República Tcheca. Graças a tudo isso, Ostrava tornou-se um local turístico muito popular e sem equivalente na República Tcheca. A transformação do complexo industrial Vítkovické železárny em um centro cultural, social e educacional peculiar é muito atraente. 

Todos os dias, moradores e turistas de todo o mundo se aproveitam disso. É possível pegar um elevador especial para ir até o topo do forno n° 1. Conferências e shows são realizados na sala multifuncional Gong, situada no antigo tanque de combustível.

Há um espelho gigantesco que impressiona e um dos maiores jardins da República Tcheca. O distrito cultural de Hlubina é muito popular, especialmente entre artistas e seu público.

A singularidade de Landek consiste na interconexão do museu de mineração como uma relíquia técnica com a colina de Landek como uma relíquia natural nacional. Percorra o interessante caminho com sua seção geológica excepcional, através de várias camadas de carvão, com mais de 250 milhões de anos. 

No maior museu de mineração da República Tcheca (o único em Ostrava), pode-se ainda entrar na gaiola de mineração e descer até a mina de Anselm, a mais antiga da cidade. Na mina Michal, que agora é um monumento cultural nacional, é possível experimentar o que os mineiros faziam antes de ir para o trabalho. Tudo foi preservado como era antes, como se os mineiros mal tivessem saído da mina.

O Slezskoostravský hrad (castelo de Ostrava e Silésia) data do século 18 e as atividades de mineração diminuíram seu nível em 16 metros. Oferece exposições sobre a história do castelo e da cidade, o Museu de Mistérios, grandes aquários, eventos culturais e sociais.

O símbolo da cidade é a torre da prefeitura, com um mirante de onde se vê toda a cidade e seus arredores de paisagem mineira recuperada. A estátua de Ícaro na entrada simboliza as quedas 
e subidas da cidade ao longo da história.

Štramberk

Em contraste com todo o metal e a industrialização que Ostrava oferece, a alguns quilômetros mais ao sul encontramos as encostas verdes, casas de madeira, tradições populares e a excelente gastronomia regional, como a Valáquia (Valašsko, em tcheco) e as montanhas Beskydy. Ali fica Štramberk, uma cidade montanhosa, situada entre colinas arborizadas que, por suas ruas encantadoras e casas de madeira dos séculos 18 e 19, é frequentemente chamada de Belém da Valáquia.

No alto da cidade estão as ruínas do Castelo Strallenberg, com a torre cilíndrica alta chamada Trúba; de uma ponte de madeira se abre a vista fantástica dos arredores. Becos pitorescos levam os visitantes ao assentamento abaixo do castelo, e escadas em espiral conduzem do castelo à praça principal. 

No local há um museu de marionetes, o minizoológico de Aqua Terra, o museu de pré-história do famoso pintor Zdenek Burian e o Museu de Brinquedos. Em uma das cabanas de madeira na esquina encontra-se um museu de cera (Panoptikum), com todos os tipos de manequins, figuras de cera, que representam personagens desta região. 

Na cafeteria Perníkovka são revelados os segredos da produção de pão de gengibre tradicional. Na praça também fica a renovada cervejaria da cidade, onde se produz a bebida artesanal Trubac. Lá, é obrigatório saborear as delícias culinárias à base de cerveja e até provar seus efeitos benéficos nos banhos de cerveja originais!

Para quem aprecia doces, tem de experimentá-los, já que não encontrará em nenhum outro lugar sabor igual às orelhas de Štramberk, pão doce feito de massa de mel com especiarias e formato de orelhas retorcidas. Os doces, de receita secreta, continuam sendo preparados em Štramberk por vários séculos para comemorar a lendária vitória dos cristãos locais sobre o exército tártaro.

Depois, viaje de Lašská pelo caminho didático (Lašská naucná stezka) até a torre da Montanha Branca, cuja forma se assemelha à hélice do DNA.

Príbor

É a terra natal de Sigmund Freud, uma cidade pitoresca no sopé das montanhas Beskydy. Orgulhosa de seu famoso cidadão, a praça central recebeu seu nome. Além de visitar o centro e apreciar a arquitetura local, não dá para deixar de apreciar o local de nascimento de Freud, convertido no museu que leva seu nome e remete ao ambiente onde ele cresceu.

Está aberto durante todo o ano, não expõe os fatos conhecidos da vida de Freud, mas apresenta o famoso fundador da psicanálise através de suas ideias.

Assim que entra, o visitante coloca os fones de ouvido fornecidos pelo museu para ouvir a voz fictícia de Freud, relembrando os principais momentos de sua carreira, oferecendo um olhar sobre seus métodos científicos. A exposição é acompanhada de caricaturas do conhecido cartunista e ilustrador tcheco Vladimír Jiránek, que mostra Freud de uma maneira incomum, como amante do humor.

Celadná

No coração das montanhas Beskydy fica a prometida terra do golfe. Celadná oferece dois campos: o Old Course, com seu caráter robusto e resistentes greens, e o The New Course, que combina terreno plano com acidentado. Um desafio espera pelos turistas, na forma de superfícies estreitas delimitadas por florestas e obstáculos de água e areia. 

Além disso, na cidade há uma oferta interessante de spas. É possível relaxar e aproveitar os tratamentos de spa e bem-estar, entre massagens indianas, esportes ou pedras vulcânicas.

Tudo sobre: