EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

14 de Julho de 2020

Monte Saint Michel: A fascinante maravilha do Ocidente

Um perfeito e real cenário de conto de fadas, só que aberto ao público, na Normandia

A Normandia, antiga terra dos vikings e também cenário da batalha do fatídico Dia D, é hoje um dos mais fascinantes destinos turísticos do mundo. E não é por menos, já que um de seus belos cartões-postais é o Monte Saint Michel, um perfeito e real cenário de conto de fadas, só que aberto ao público. É um destino que vale a pena entrar na sua wish list de viagem!

Visualmente impressionante, o Monte Saint-Michel é uma ilhota de pedra granítica localizada na foz do Rio Couesnon, na costa da Baixa Normandia, a pouco mais de 350 quilômetros de Paris, na França.

Quem visita o Monte jamais se esquece de tal experiência vivida dentro e fora deste monumento histórico. Aclamado também como importante local de peregrinação no Oeste Medieval, o destino é o terceiro mais visitado da França e já recebe cerca de 3 milhões de visitantes por ano,ficando atrás apenas da Torre Eiffel e Versalhes.

Nada mal para uma aldeia com menos de 50 habitantes, formada por uma comunidade monástica vinda de Jerusalém. Circular por suas vias, escadas e becos exige certo preparo físico, mas não deixa de ser um espetáculo à parte, já que nos remete, como numa máquina do tempo, à época do Renascimento.

Joais Arquitetônica  

Verdadeiras joias arquitetônicas com elementos góticos, casas de pedra com seus telhados de xisto, monumentos históricos, museus, restaurantes, lojas e até uma pequena agência de Correio, fazem do passeio uma experiência medieval, elucidativa e inesquecível.

No topo de sua abadia (e não castelo) figura a imagem de São Miguel, o arcanjo que representa a mais alta hierarquia dos anjos e que ali, a 170 metros de altura, observa os visitantes.

O arcanjo Miguel, ou Saint Michel, compõe o grupo dos “sete espíritos” (que atendem diretamente ao trono de Deus) citados no livro do Apocalipse, e que tem como função atuar como mensageiro dos decretos de Deus aqui neste mundo.

O nome, de origem hebraica, significa “Quem como Deus?”, que poderia funcionar também como retórica para muitos, afinal “ninguém é como Deus”.

O mosteiro dedicado em homenagem ao Padroeiro da Igreja Católica foi fortificado no século 13 e é considerado a fortaleza mais segura de todos os tempos, por resistir a todas as tentativas de invasão nas batalhas, tornando-se símbolo da identidade nacional francesa. Em cada ponto de suas gigantescas muralhas há um pouco de história e paisagens inenarráveis, especialmente num belo dia de sol.

A Igreja de St. Pierre enfeita a aldeia com sua imponente torre-relógio e uma estátua de Joanad'Arc frente à entrada principal. No interior do santuário, sob o reflexo do sol nos vitrais, nos sentimos abençoados e protegidos pelo olhar de uma estátua do Arcanjo Miguel, ou Saint Michel, em francês.

A estrutura arquitetônica que muitos confundem com um castelo, na realidade se trata de uma abadia do século 13, e já foi considerada a fortaleza mais segura de todos os tempos, resistindo a todas as tentativas de invasão nas batalhas.

A visita a este Patrimônio Mundial da Unesco, de estilos carolíngio, romano, gótico e clássico, leva cerca de três horas, mas você pode (e deve) passar o dia todo, explorando cada pedaço deste paraíso fortificado. Se por acaso tiver sorte e conseguir assistir uma missa dos monges, considere-se de fato um ser iluminado.

O cemitério da aldeia é outro ponto turístico, pois nele está o túmulo da famosa Annette Poulard, personagem histórica da região.

Badalado Restaurante  

Seu badalado restaurante, o La Mère Poulard, foi inaugurado em 1888 e de lá pra cá, entre completas cartas de vinhos e cardápios elaborados por autênticos chefs franceses, oferece o cultuado (e histórico) omelete que leva seu nome e que já recebeu o aval gourmet de celebridades como Ernest Hemingway, Woody Allen e Yves Saint Laurent, ao lado de tantas outras celebridades, ali em fotos autografadas, que enfeitam as paredes do aconchegante local.

O Monte também é famoso por seus aspectos ambientais, já que está cercado pelas maiores marés da Europa, elevando o nível do mar em até 15 metros de altura.

Na maré baixa, é possível assistir ao pôr do sol ou caminhar pela praia nas costas do Monte. A experiência extra-sensorial é algo divino, assim como passar a noite na região, que apesar de não possuir atividades noturnas, se torna uma experiência única, já que avistar o Monte iluminado, brilhando solitário na escuridão, é cinematográfico.

A melhor época para visitar Saint-Michel é entre maio e outubro, por conta do clima, mas o destino é altamente recomendável em qualquer época do ano. 

Se você quer fazer uma viagem dos sonhos e está em dúvida sobre qual lugar, Monte Saint Michel, acredite, é altamente recomendável a qualquer tempo.

Como ir

Há três formas de visitar St Michel: transporte público, excursão e alugando um carro, lembrando que, neste caso, o hotel deve lhe encaminhar uma senha, pois a área é restrita. É possível também se hospedar dentro do Monte, mas as opções são mais restritas.

No trajeto do complexo hoteleiro ao Mont Saint-Michel há uma passarela. Um ônibus gratuito faz o trajeto diariamente, com intervalos a cada 15 minutos, das 7h30 até meia-noite. É sempre bom, antes de programar a sua viagem, consultar, junto ao hotel, o mapa das marés, para escolher bema data para sua visita, pois em casos de maré alta, corre o risco das águas ultrapassarem a altura da passarela,transformando o Monte em uma ilha inacessível.

Para quem gosta de caminhar, a trilha de quase três quilômetros até o Monte rende belíssimas fotos. Os mais românticos ainda podem optar por fazer a travessia a bordo de uma carruagem. 

Tudo sobre: