EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

13 de Agosto de 2020

Eslovênia: a terra dos dragões

Eslovenos possuem fascínio por esse símbolo, resquício da passagem dos argonautas pela região, que tem mais de 60% de seu território florestado

A Eslovênia se tornou república logo após a queda do Muro de Berlim e de toda desintegração do bloco comunista da antiga Europa Oriental, se tornando o primeiro destes novos países a juntar-se à União Europeia e adotar o euro como moeda.

O país possui mais de 60% de seu território repleto de montanhas, lagos, rios, cachoeiras e cavernas, ostentando o título de terceiro país mais florestado da Europa.

O melhor caminho para Eslovênia é via Itália, pela multicultural Trieste, cidade vizinha da lírica Veneza. Em pouco menos de uma hora de estrada chega-se a Postojna, recanto perfeito para compartilhar experiências inesquecíveis como uma visita à Caverna de Postojna, uma das maiores do mundo e que já recebeu mais de 36 milhões de visitantes.

Esculpida pelo Rio Pivka durante milhões de anos, a caverna possui dezenas de quilômetros de extensão, mas apenas três deles são abertos à visitação.

O tour começa com um trajeto de um minitrem aos moldes de parques temáticos de Orlando (EUA). A viagem inclui curvas fechadas por entre espaços estreitos e escuros, até a visita a um grande salão natural com um lustre de cristal pendurado ao teto da caverna. O passeio segue com uma fantástica caminhada guiada por mais 1,3 quilômetros entre escadarias e plataformas de um universo espetaculoso que exibe rochas, estalagmites e estalactites que desafiam o tempo e as leis da gravidade.

Os eslovenos possuem fascínio por dragões, resquícios da passagem dos argonautas pela região. Dentro das cavernas há inclusive uma espécie sui generis de salamandra, o Proteus, animal extremamente sensível à luz, que vive na escuridão e é chamado de bebê dragão. O carismático Mushu, o mascote da princesa Mulan no clássico Disney, foi inspirado nesta espécie.
O vizinho Castelo de Predjama é também surpreendente, a começar por sua construção do século 13, feita numa caverna a 127 metros de altura, toda incrustrada na rocha, a ponto de quase não haver limite entre a montanha e o castelo. 
É assombroso, no melhor sentido da palavra, assim como a história de seu morador, o Barão Erazem, espécie de Robin Hood de sua época, pois tal qual o herói do folclore inglês, ele também roubava dos ricos para doar aos pobres.
O interior do castelo é arrebatador, especialmente a sinistra sala de torturas, que já foi tema de programas e livros sobre atividades paranormais.

A sedutora capital eslovena, Ljubljana, fica a meia hora de Predjama, é banhada pelo Rio Lubljanica e é tão deslumbrante quanto o castelo que leva seu nome e que está situado numa posição sobranceira, de onde pode ser apreciado a distância por qualquer ponto da cidade. Para subir até o castelo há duas formas: a tradicional caminhada ou para os dispostos a ganhar tempo, via funicular – um bondinho puxado por cabos, como o nosso Monte Serrat.

As ruas históricas e a arquitetura cênica de Ljubljana são de uma perspectiva instigante. Os bares <CF70>animados nos convidam a apreciar a noite local. Pela manhã ou tarde, vale um city tour pela cidade e uma visita ao pitoresco Mercado Central.

As pontes são outro atrativo da cidade. As três principais são a Butcher’s Bridge, a Dragon Bridge, ponte cinematograficamente protegida por gigantescos dragões, mascotes da cidade, e a Tromostovje, ou ponte tripla, que liga as partes moderna e medieval de Ljubljana.

A primeira da tríade foi construída com madeira no século 13, mas incendiou, sendo reconstruída em concreto, somente em 1842. Como era a principal via de acesso, vivia congestionada com carroças e pedestres. Por isso, em 1932 foram criadas duas pontes laterais exclusivas aos transeuntes.

A pouco mais de 50 quilômetros de distância de Ljubljana está o município de Bled, onde se encontra o espetacular Lago Bled, bem no coração dos Alpes Julianos. As visitas à sua ilha são feitas a bordo de charmosas embarcações a remo, o que contrasta ainda mais com o ambiente bucólico e poético. Ao chegar na ilha, o visitante adentra um conto de fadas, pois a igreja do final do século 17, decorada com afrescos góticos de 1470, possui ainda uma torre de 52 metros de altura, onde no pico encontra-se um antigo e enigmático relógio.

O Castelo de Bled é o mais antigo da Eslovênia e foi construído há cerca de mil anos. Devido à sua localização geográfica e estratégica, foi um importante local de reuniões oficiais com políticos de elevado nível. O castelo outrora visitado por uma série de estadistas de alto escalão, hoje está de portas abertas para receber visitantes de todas as partes do mundo. A incrível vista da natureza que o circunda é realmente extraordinária.

Tudo sobre: