Empoderamento por meio da lã de ovelha

Mãostiqueiras é um projeto social, de preservação cultural

A partir de uma ideia que une as mãos e os talentos de mulheres artesãs de Campos do Jordão à identidade da Serra da Mantiqueira, nasceu o Mãostiqueiras. Trata-se de um projeto social, de preservação cultural, iniciado em 2016, com seis moradoras de um bairro de baixa renda que aprenderam a tecer acessórios e objetos de arte e utilitários com lã de ovelhas, criadas na zona rural da cidade.

Atualmente, são 40 mulheres que, graças ao projeto, aprenderam uma atividade que gera renda, independência e autoestima. “A maioria é dona de casa, nunca teve renda”, explica uma das idealizadoras do Mãostiqueira, a empresária paulistana Juliana Müller Bastos, que trocou São Paulo por Campos, e hoje toca o negócio junto da jordanense Lica Araújo, responsável por iniciar um trabalho social com as mulheres do Jardim Monte Carlo, dentro de uma igreja local, tecendo com fuxico. “Meu avô materno trabalhava numa fazenda onde tinha criação de ovelha”, lembra Lica.

O projeto funciona dentro do Parque da Lagoinha, num grande galpão onde são realizadas oficinas com lã e ficam expostas as ferramentas utilizadas para tratar, cardar, fiar e tingir a lã (como rocas, meadeiras, fusos).

Além disso, o visitante pode apreciar e adquirir as criações das mulheres artesãs, que vão desde chaveirinhos a roupas, mantas e almofadas; conhecer todo o ciclo da lã, num tour monitorado; e ver de perto um grupo de ovelhas, que pasta e dorme ao lado. 

O projeto não para por aí: Juliana avisa que está criando o Museu da Lã, que deverá funcionar no mesmo local e contará curiosidades envolvendo os 10 mil anos de domesticação de ovelhas no mundo. Saiba mais no site.

Tudo sobre: