EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

22 de Outubro de 2019

Descubra o Atacama

Com paisagens das mais diversas, o deserto chileno oferece um roteiro de aventura e cultura do povo andino

Pode acreditar: quem vai ao Atacama volta uma outra pessoa. Longe de ser aquele tipo de deserto árido, com areias escaldantes e paisagens monótonas a perder de vista, o deserto chileno oferece experiências que ficam eternamente na memória e deixam marcas na alma. Parece poético demais, mas a imensidão dos cenários naturais, as cores, o clima, tudo contribui para uma boa reflexão sobre o porquê da nossa existência na face da Terra.

San Pedro de Atacama, a cidadezinha de 2 mil habitantes, base de partida para os pontos mágicos do deserto, por si só, é um show à parte. Por suas ruas de terra batida passeiam turistas de todas as partes do mundo em busca de uma lembrança atacamenha. Hotéis, hostels, albergues, pequenos restaurantes típicos e serviços de apoio aos turistas ficam por ali.

Procure aproveitar a cidade. Vá à igreja matriz, percorra a feirinha na praça principal e dê um pulo até o cemitério. Programa bizarro? Não, mesmo. As campas simples são ornamentadas com flores de papel colorido (lembre-se, estamos no deserto) e com artigos que formam cenas pitorescas de como era a vida de quem está ali enterrado.

Se você gosta de museus, visite o de meteoritos e o arqueológico Gustavo Le Paige. Faça tudo a pé, de bicicleta e até mesmo a cavalo.

Temperatura

Explorou a cidade? É hora de seguir viagem. Aqui, um parêntese: não subestime as temperaturas do deserto (vão de zero a 30/40 graus Celsius em pouco tempo). Portanto, durante qualquer passeio, a qualquer hora do dia, agasalhe-se muito bem. Roupas impermeáveis, botas, luvas, gorros, cachecóis... Não deixe nada para trás. Vista-se em camadas e vá retirando ou acrescentando peças de acordo com a mudança do clima.

Para seguir viagem, a orientação de um guia é essencial. Se você já tem um roteiro predeterminado, observe se a altitude dos passeios sobe progressivamente, um pouco a cada dia.

As Lagunas Altiplânicas, por exemplo, ficam mais de 4 mil metros acima do nível do mar. Deixe esse passeio para o final, e escolha outros, como o Valle de La Luna (2.500m de altitude), para dar início à sua excursão. A mudança de altitude abrupta pode causar dor de cabeça, enjoo e outras indisposições.

De dia ou à noite, só belas paisagens

As estradas que cruzam o deserto do Atacama são seguras e tranquilas. Curta muito esses trajetos no meio da paisagem desértica e tenha sempre à mão a máquina fotográfica: a qualquer hora, vicunhas, viscacha (um roedor bem fotogênico) e outros animais podem surgir do nada.

Aqui, outro parêntese: evite interferir no ambiente fazendo aqueles montinhos de pedras ao longo das rodovias (você vai ver muitos deles por lá). Os nativos criticam esse tipo de atitude. Leve boas lembranças, sem deixar suas marcas.

O Valle de La Luna é aquele passeio imprescindível e tradicional. Seu solo se assemelha ao de um desses planetas que costumamos vernos filmes de ficção científica. O caminho de areia fofa e escura leva ao ponto mais alto de onde se vê três cordilheiras – Andes, La Sale Domeyko.

Formações de sal, gesso e argila esculpidas pelo vento fazem desse um dos pontos turísticos mais curiosos no Atacama. Fica a 20 minutos de San Pedro e a uma altitude de 2.500 metros.

O Salar de Atacama é outra maravilha da natureza. Andar pelos corredores de sal, apreciar os flamingos em vários tons de coral se alimentando (eles ficam bem distantes; se puder, leve binóculos) e presenciar o pôr do sol são lembranças que ficarão para sempre desse que é o quarto maior salar do mundo.

Gêiseres de Tatio

Também são muito populares os gêiseres de Tatio. Mas é preciso sair bem cedo (por volta das 4 horas da manhã) para aproveitar plenamente esse passeio, que fica a 200 quilômetros da cidade-base e a uma altitude de pouco mais de 4.300 metros. Além da erupção desses pequenos vulcões, é possível mergulhar na água quentinha da terma Pozon Rústico. Leve roupa de banho e toalha.

Passando para um outro extremo, agasalhe-se muito bem se for às Lagunas Altiplânicas, porque nesse ponto as temperaturas despencam para valer.

A 280 quilômetros de San Pedro de Atacama e três horas de viagem de van, esse passeio vai a, pelo menos, três lagoas: Águas Calientes, Miscanti e Meniques. Todas deslumbrantes, com águas cristalinas cercadas por vulcões e montanhas geladas.

Se tiver tempo, programe-se ainda para ver estrelas, galáxias, nebulosas e planetas em um passeio noturno ao observatório, a seis quilômetros da cidade. Uma verdadeira aula de astronomia, inclusive do ponto de vista dos ancestrais andinos.

Tudo sobre: