Aviesp: O que esperar do futuro das viagens turísticas?

O isolamento social desencadeou uma discussão muito necessária: a ressignificação do conceito de viajar

O isolamento social desencadeou uma discussão muito necessária: a ressignificação do conceito de viajar. Após tanto tempo confinado, mais do que conhecer destinos ou reviver momentos alegres, sair de casa será recuperar a liberdade. Arrumar as malas e passear terá gosto de vitória e se tornará um recomeço para cada um de nós.

Embora a pandemia seja, em primeiro lugar e principalmente, um problema de saúde pública, existem desafios relacionados a ela que geram consequências para diversos setores, entre eles, o Turismo. 

A retomada desse segmento será gradativa, já que não depende somente do nosso desejo e sim de como a realidade irá se comportar nos próximos meses.

A longo prazo, a pandemia – assim como qualquer crise – também poderá proporcionar oportunidades para mudanças positivas. Em uma época no qual a incerteza está ao nosso redor, planejar uma viagem segura parece algo inalcançável. 

Por essa razão, chama a atenção o trabalho oferecido pelos agentes de viagens, que serão ótimos aliados para a pessoa que pretende conhecer novos lugares com proteção. 

Os agentes são essenciais para sugerir hotéis, resorts e atrações que respeitem as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), bem como as do Ministério da Saúde e das autoridades regionais. Esses profissionais ganham espaço para conectar os indivíduos aos seus destinos e sonhos com cuidado e conforto. São especialistas que fogem de roteiros simplórios e proporcionam muito além dos programas tradicionais.

Pressuponho que, assim como eu, você também irá preferir evitar grandes aglomerações, pelo menos, nas próximas semanas. Saiba que com o fim da quarentena, muita gente escolherá fazer viagens pelo território brasileiro. Essa é a chance de conhecer a história do nosso País e os pontos turísticos da sua região.

O ecoturismo é uma grande opção, já que os viajantes podem optar por visitar locais abertos, em contato com a natureza. De acordo com as análises do Sistema Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae-SP) e do Laboratório de Inteligência de Mercado de Viagens (TRLV Lab), aumentaram os números de buscas por palavras-chaves como cachoeiras, montanha, trilha, natureza e caverna. O estudo também aponta que as pesquisas são relacionadas a áreas próximas e que possibilitam o acesso por meio de carros dos viajantes.

Vamos responder ao impacto do coronavírus com bom senso, transparência, respeito e empatia. A adoção de medidas para garantir a segurança foi destacada como prioridade para as associações turísticas. Por isso, para estimular os deslocamentos e valorizar as regiões nacionais, o Sistema Integrado de Parques e Atrações Turística (Sindepat), com apoio da Associação das Agências de Viagens do Interior do Estado de São Paulo (Aviesp) e de outras entidades do segmento, lançou a campanha #ViajePeloBrasil.

Como profissional do Turismo, concluo que a vida do setor pós-pandemia será diferente, mas desejo que você, leitor, não desista dos seus sonhos, apenas adie! Em breve, o mundo estará à sua espera!

Para uma viagem mais segura, consulte a lista de agências associadas à Aviesp na Baixada Santista, por meio do site www.aviesp.com.


Marcos Lucas, presidente da Associação das Agências de Viagens do Interior do Estado de São Paulo (Aviesp)

Tudo sobre: