Cursos de trabalhos manuais são os mais procurados por quem quer empreender na Baixada Santista

Sebrae destaca alguns setores, como alimentação, artesanato, vestuário e beleza

Por: Daniel Rodrigues*  -  24/11/21  -  17:08
Atualizado em 24/11/21 - 17:36
Maria José terminou o curso de bijouterias para se tornar uma microempreendedora
Maria José terminou o curso de bijouterias para se tornar uma microempreendedora   Foto: Arquivo pessoal

A taxa de empreendedorismo no Brasil apresentou um crescimento de 75% entre os anos de 2019 e 2020. Ao mesmo tempo, saltou de 30% para 53% o número de pessoas que desejam abrir o próprio negócio nos próximos três anos – um percentual equivalente a 50 milhões de brasileiros -, segundo relatório da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) do Sebrae, realizado em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ).


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


Diante desse cenário, que revela o crescimento das intenções empreendedoras, aumenta também a procura por cursos de capacitação. De acordo com o Sebrae, as áreas que apresentam maior demanda são aquelas voltadas aos serviços manuais.


No setor de alimentação, os cursos mais procurados são: fabricação de pizzas e salgados; tortas e quiches e de bolos e tortas. No Artesanato, a procura foi pelas aulas de criação e técnicas de montagem de bijuterias.


Em Vestuário, o alvo foi modelagem de roupas e ajuste, além de reforma de roupas. Enquanto no setor de beleza, tiveram grande demanda os cursos de depilação facial com linha; depilação e design de sobrancelhas.


A professora do curso de Gastronomia da UniSantos, Kelly Ferreira Piasentin, explica alguns motivos para que os cursos de alimentação estejam entre os mais procurados. “Hoje, principalmente por conta do delivery, muitos empreenderam em suas casas, pois identificaram uma oportunidade promissora, sem tanto investimento”.


Nesse ramo, segundo ela, o que vem tendo destaque são os alimentos feitos artesanalmente. “A produção artesanal está em alta, como a produção de pães e pizzas com fermentação natural, bolos personalizados e a cozinha afetiva que traz memórias de família”, conta Kelly.


Trabalhos manuais são os mais no procurados, como o de modelagem de roupas
Trabalhos manuais são os mais no procurados, como o de modelagem de roupas   Foto: Arquivo pessoal

Mercado saturado?
“Não diria que o mercado está saturado. Tem espaço para todos, porém alguns diferenciais são importantes para a consistência do negócio e a satisfação do cliente”, diz Kelly, que destaca a importância de buscar conhecimento na área da área em que se deseja empreender.


Aprimorar o negócio
Devido ao desemprego, muita gente pensa em abrir o próprio negócio e, para aqueles que já são empreendedores, pode ser momento de aprimorar o modelo já aplicado na empresa, como é o caso da administradora e empresária Andréa Duran Martins, que fez o curso de Modelagem de Roupas do Sebrae.


“Os cursos me ajudaram a colocar a minha empresa a ter produtividade, já estou colocando em prática, mas para o ano que vem com certeza será muito melhor para administrar as atividades da empresa com o conhecimento adquirido através do Sebrae”, conta.


Andréa continua: “(O curso) colaborou muito no crescimento do meu perfil profissional, porque todo conhecimento agrega valor. Comigo, não foi diferente. Me fez crescer muito e ter uma nova visão para o futuro”.


A dona de casa Maria José Félix, que está desempregada, fez o curso de Criação e Técnicas de Montagem de Bijuterias no Sebrae e pretende empreender. “Minhas expectativas são me tornar uma microempreendedora tanto de bijuterias quanto de aromaterapia".


*Reportagem feita como parte do projeto Laboratório de Notícias A Tribuna - UniSantos sob supervisão do professor Paulo Bornsen e do diretor de Conteúdo do Grupo Tribuna, Alexandre Lopes.


Logo A Tribuna