Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Moradores de Santos pedem ajuda para tirar das ruas homem que apresenta problema psiquiátrico

Indivíduo em situação de vulnerabilidade social costuma frequentar Avenida Marechal Floriano Peixoto, no José Menino

Por: ATribuna.com.br  -  17/07/21  -  07:02
Atualizado em 17/07/21 - 09:26
  Homem costuma andar pela Avenida Marechal Floriano Peixoto
Homem costuma andar pela Avenida Marechal Floriano Peixoto   Foto: Alexsander Ferraz/AT

Moradores e comerciantes de Santos pedem ajuda para tirar dar ruas um homem que, segundo eles, apresenta confusão mental. Os munícipes dizem que ele costuma frequentar a Avenida Marechal Floriano Peixoto, no José Menino, e dorme ao lado da antiga policlínica do bairro.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


O comerciante Francisco Sebastião Rodrigues tem uma padaria localizada na avenida. Segundo ele, o indivíduo em situação de vulnerabilidade social apresenta transtornos psiquiátricos e tem perturbado os clientes e, consequentemente, atrapalhado seu comércio.


"Ele as vezes vai em cima das pessoas que estão nos carros, que levam susto. Tem gente que dá lanche, só que a comida ele não come, joga fora".


O jornalista aposentado Cláudio Magalhães, que também tem observado o indivíduo, diz que é preciso retirá-lo da rua para ajudá-lo.


"Uma pessoa com distúrbios variados e sem condições de discernir o que deseja por problema mental, deve ser acolhida para recuperar sua dignidade de ser humano e retornar a sua família".


Segundo a Prefeitura de Santos, o Serviço Especializado em Abordagem Social atua diariamente (incluindo finais de semana e feriados) nas ruas e demais logradouros públicos da cidade buscando construir vínculos de confiança com a população a ser atendida. Oferta orientações sobre acesso à prevenção e tratamento de covid-19, além encaminhamento a serviços e equipamentos públicos. Essa Equipe pode ser acionada através do telefone 153 (ligação gratuita e 24h).


A Administração ressalta que o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, o Centro POP, que antes funcionava de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, passou a atender também aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 13h, na Rua Amador Bueno, 446, Centro. A Prefeitura também abriu dois abrigos emergenciais, devido à ampliação do atendimento à população de rua na pandemia de covid-19. Somadas a de outros quatro abrigos, o total de vagas chega a 286.


O Centro Centro Pop oferta atendimento multidisciplinar, atividades, lanche, higienização e diferentes encaminhamentos de acordo com as demandas apresentadas. Realiza o recâmbio qualificado para a cidade de origem.


Acolhimentos


Ainda segundo a administração municipal, Santos conta atualmente com seis serviços de acolhimento institucional voltados ao atendimento à população em situação de rua, sendo eles a Seacolhe-AIF, Albergue Noturno, Casa Êxodo, Abrigo Emergencial, Seabrigo-AIF e Casa das Anas. Tanto a Casa Êxodo quanto o Abrigo Emergencial foram abertos em 2020, no contexto da pandemia, para garantir a ampliação das vagas de acolhimento institucional para essa população. Com esses equipamentos, foi possível ampliar a rede em mais 100 vagas. O acesso a esses serviços se dá através do atendimento e encaminhamento pelo Centro Pop e pelas Equipes de Abordagem Social.


Refeições gratuitas


O Município recebeu 800 cartões-alimentação para serem distribuídos a pessoas em situação de rua, que não estão em serviços de acolhimento e sem acesso à assistência alimentar. O levantamento da quantidade de cartões necessária foi feito a partir dos dados do censo da população em situação de rua (2019, realizado em parceria entre Seds e Unifesp) e do monitoramento realizado através da CoGeSuas (Coordenadoria de Gestão do Sistema Único de Assistência Social).


Os cartões são entregues no Centro POP (Rua Amador Bueno, 446), e durante a abordagem das equipes nas ruas. Todas as pessoas são, na ocasião, cadastradas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Seds). Para isso, é necessário que se apresente documento de identidade (RG ou CPF). Os que estão sem documento, mas são cadastrados na Rede de Informações Sociais (RIS), também receberão o benefício.


O cadastramento e a entrega do cartão garantem apenas a dispensa de pagamento, devendo a pessoa ser submetida à fila, com o devido distanciamento social, e ao limite de refeições diárias de cada unidade do Bom Prato. Não há possibilidade de repetir a mesma refeição no dia. No Centro Pop há ainda distribuição de máscaras para aqueles que chegam ao local sem portar uma.


Prevenção


A Prefeitura de Santos mantém o trabalho do Consultório na Rua. Com o suporte de uma van adaptada e motorista, é realizada ação educativa e de orientação, que inclui agora informações sobre a covid-19 e formas de prevenção. Durante as atividades do Consultório, caso a equipe atenda alguém com sintomas do novo coronavírus, o Samu será acionado imediatamente.


Kits de higiene


Desde o início da pandemia, o programa Novo Olhar arrecada produtos de higiene para a população em situação de rua: álcool gel 70%, sabonete, sabonete líquido, escova e pasta de dente, garrafa de água, barbeador descartável, papel higiênico, lencinho de papel e absorventes. Com o material, a equipe do Consultório na Rua monta kits de higiene, entregues àqueles que, por diversos motivos, não vão para os abrigos da Prefeitura.


Interessados em fazer doações podem entrar em contato por meio do WhatsApp (13) 99158-7115. As portas de entrada para os serviços de acolhimento da Secretaria de Desenvolvimento Social são o Centro Pop (Rua Amador Bueno, 446 - Paquetá) e por meio das equipes de abordagem, que podem ser acionadas pelo telefone 153 (ligação gratuita e 24h). Salientamos que os abrigos não recebem demanda espontânea.


Logo A Tribuna