'Todo mundo pode ser substituído', diz Bolsonaro, sobre presidente da Petrobras

Chefe do Executivo considerou a hipótese de demitir o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna

Por: Estadão Conteúdo  -  16/03/22  -  15:10
Bolsonaro ainda elevou o tom das críticas à estatal
Bolsonaro ainda elevou o tom das críticas à estatal   Foto: Alan Santos/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, considerou nesta quarta-feira, 16, a hipótese de demitir o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna. "Existe a possibilidade, todo mundo pode ser substituído se não estiver fazendo trabalho a contento", declarou o chefe do Executivo em entrevista à TV Ponta Negra, afiliada do SBT no Rio Grande do Norte. "Todos podem ser trocados por falha ou omissão."


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


A declaração vem em meio às tensões entre governo e Petrobras após o reajuste dos combustíveis anunciado pela estatal na semana passada, que tem o potencial de prejudicar a imagem do presidente em ano eleitoral.


Bolsonaro ainda elevou o tom das críticas à estatal. "Petrobras se transformou em Petrobras Futebol Clube, clubinho que só pensa neles, jamais no Brasil, até mesmo repasse para o gás de cozinha, impensável, fizeram também", disse ele na entrevista, gravada nesta quarta-feira no Palácio do Planalto e exibida no período da tarde.


"Para mim, é uma empresa que poderia ser privatizada hoje", acrescentou Bolsonaro, reassumindo a tentativa de livrar o governo do ônus político do reajuste. "Não posso interferir. Se pudesse interferir, as decisões seriam outras."


Por outro lado, Bolsonaro destacou que Silva e Luna está "amarrado em legislação".


Logo A Tribuna
Newsletter