EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

17 de Julho de 2019

'Demos o 1º passo rumo a um Brasil melhor', diz Bozzella após votação da reforma da Previdência

Vice-líder do PSL defende que aprovação da proposta irá garantir a aposentadoria de milhões de brasileiros

O deputado federal Júnior Bozzella (PSL-SP) comemorou o resultado da votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) de reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. A Casa aprovou, na noite desta quarta-feira (10), em primeiro turno, o texto-base da proposta. Foram 379 votos favoráveis e 131 contrários.

Segundo o parlamentar, que é vice-líder do principal partido da base aliada do governo Jair Bolsonaro, o resultado da votação foi o "primeiro passo rumo a um Brasil melhor e menos desigual".

"Hoje (quarta-feira), participamos de um momento histórico do nosso país, demos o primeiro passo rumo a um Brasil melhor e menos desigual. A cotação do dólar e o desempenho do mercado financeiro já deram sinal do quanto a reforma da Previdência impactará positivamente a nossa economia. Com a aprovação da Nova Previdência, tenho certeza que o Brasil vai voltar a avançar e crescer economicamente", disse o social liberal.

O placar da votação superou com folga o mínimo exigido, de 308 votos. No entanto, para Bozzella, o resultado já era esperado. "Imaginávamos ter um apoio maciço porque era o que a gente vinha sentindo no dia a dia aqui da Casa. Os parlamentares representam a população brasileira, a vontade do povo. E os deputados tiveram a sensibilidade de entender que a reforma se faz imprescindível, que é necessária para garantir os direitos do trabalhador e o crescimento do Brasil", comentou o parlamentar. 

A proposta ainda precisa ser aprovada em mais um turno na Câmara, antes de seguir para duas votações no Senado. O vice-líder do PSL na Câmara demonstrou estar confiante que a PEC irá avançar nas duas casas legislativas.

É o futuro do Brasil que está em jogo. A aprovação desta PEC vai garantir a aposentadoria de milhões de brasileiros. Agora, a nossa expectativa é aprovar a proposta da reforma da Previdência também em segundo turno aqui na Câmara, e depois em mais dois turnos no Senado", finalizou Bozzella.