Tropa de choque apreende fuzil em megaoperação envolvendo mais de 300 PMs no litoral de SP

Batalhões de elite e efetivo local da Polícia Militar ocupam bairros por tempo indeterminado; uma pessoa foi presa

Por: ATribuna.com.br  -  12/05/22  -  18:56
Equipes do Comando de Choque, Rota e Baep estão em Guarujá, litoral de SP
Equipes do Comando de Choque, Rota e Baep estão em Guarujá, litoral de SP   Foto: Daniel Gois/AT

O primeiro dia da megaoperação da Polícia Militar (PM) em Guarujá, litoral de São Paulo, teve a apreensão de um fuzil e munições, além da prisão de um foragido da Justiça e de uma ocorrência envolvendo tráfico de drogas, até o final da tarde desta quinta-feira (12).

Com apoio dos batalhões do Comando de Policiamento de Choque (CPChoque) da Capital, o efetivo passou a contar, nesta quinta, com 315 policiais e 125 viaturas para atuar contra a escalada de criminalidade no Município. A operação, que foi divulgada antecipadamente pela PM por ter caráter ostensivo, não tem data para terminar.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


A chamada Operação Sufoco conta com equipes de elite da PM paulista: Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), Comando de Operações Especiais (COE), Canil e o helicóptero Águia. Na semana passada, a região já passou a contar com apoio de dez viaturas da Rota.


Além do CPChoque, a PM conta também com equipes do 4º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP), responsável pela Zona Leste de São Paulo, e do 21º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I), que atua em Guarujá. Os agentes se concentraram na Praça 14 Bis, no distrito de Vicente de Carvalho, durante a manhã, e depois se dispersaram para outros bairros.


O comandante do 21º BPM/I, tenente-coronel Gustavo Pereira Lima Magnani, explica que o reforço policial tem como objetivo passar uma resposta à sequência de crimes ocorridos na cidade.


"Primeiro é transmitir uma melhor percepção de segurança para a população, visibilidade e proximidade. Depois, fazer a prisão de criminosos, retirar armas, drogas, foragidos da Justiça, e também tentar prender os autores dos últimos delitos que ocorreram na região", disse o comandante à TV Tribuna.


Na quarta passada (4), uma quadrilha explodiu uma agência bancária e arrombou lojas durante a madrugada, na Praça 14 Bis e na Avenida Thiago Ferreira.


Na sexta (6), um grupo de criminosos assaltou um supermercado na Vila Áurea e trocou tiros com a Polícia Militar na fuga. Durante o tiroteio, uma mulher de 49 anos foi baleada e morreu.


Informações que possam ajudar no andamento da operação, como a localização de criminosos, drogas e armas, podem ser fornecidas de forma anônima pelos telefones 190, da Polícia Militar, e 181, do Disque Denúncia.


Agentes se concentraram na Praça 14 Bis e depois se dispersaram pelo município
Agentes se concentraram na Praça 14 Bis e depois se dispersaram pelo município   Foto: Daniel Gois/AT

Logo A Tribuna