Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Suspeita de integrar organização criminosa é presa em Praia Grande

Mulher de 26 anos aplicava golpes por meio de anúncios de vendas nas redes sociais

Por: Por ATribuna.com.br  -  27/02/21  -  12:41
Atualizado em 27/02/21 - 13:25
Diversas mercadorias foram encontradas no imóvel da mulher
Diversas mercadorias foram encontradas no imóvel da mulher   Foto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais da 1ª Delegacia de Investigações Gerais (DEIC) autuaram na noite desta sexta-feira (26), em Praia Grande, uma mulher de 26 anos suspeita de integrar uma organização criminosa que comercializava acessórios eletrônicos.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


As investigações começaram após algumas vítimas dos golpes procurarem a delegacia relatando os prejuízos sofridos nas compras. A polícia conseguiu identificar os responsáveis pela administração dos perfis falsos nas redes sociais, que anunciavam os acessórios.


Após apuração, a polícia foi até um imóvel localizado no bairro Boqueirão, na cidade de Praia Grande. Assim que os investigadores chegaram, a suspeita tentou desligar os computadores e quebrar um dos aparelhos celulares que estavam na casa.


A equipe conseguiu detê-la e impediu a destruição das provas. Analisando os aparelhos e as anotações, os policiais constataram diversos crimes praticados pela mulher, como o uso de documento falso, estelionato, participação em organização criminosa e lavagem de dinheiro.


Máquinas de cartão de crédito, perfumes importadores, 10 celulares, 12 pares de fones de ouvido sem fio, e joias que estavam dentro do imóvel foram apreendidos. Além dos produtos, um caderno com anotações de número de CPF e dados pessoais das vítimas dos golpes era utilizado para a obtenção indevida de auxílio emergencial.


Todo o material recolhido pela polícia será usado para identificar os demais responsáveis pela organização criminosa. A suspeita foi conduzida ao cárcere.


Logo A Tribuna