EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

19 de Julho de 2019

Segundo envolvido na morte de morador de rua em Santos é preso pela polícia

Homem foi morto a golpes de barra de ferro próximo ao Mercado Municipal em setembro de 2018

De mocinho a bandido. Policiais do 4º DP de Santos identificaram o segundo envolvido no homicídio cometido a golpes de barra de ferro contra um morador de rua na região do Mercado Municipal e descobriram que o acusado havia sido socorrido no dia do crime junto com a vítima.

Heder Antônio Ribeiro Rocha Souza, de 41 anos, foi atacado por dois homens na Praça Iguatemi Martins, às 23h de 12 de setembro de 2018. Golpeado principalmente na região da cabeça, ele morreu na Santa Casa de Santos em 16 de janeiro deste ano de traumatismo craniencefálico e falência múltipla de órgãos.

No dia do ataque, sequer o nome da vítima era conhecido, porque ela não portava documentos. Levado inconsciente e em estado grave à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central, Heder foi transferido à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Santos, onde faleceu cerca de quatro meses depois.

Heder foi levado à UPA em uma ambulância. Em outra, para a mesma unidade, foi encaminhado um rapaz conhecido como "Macumba", de 27 anos, que apresentava ferimento a faca. A lesão, porém, era da véspera, sendo "Macumba" medicado e liberado.

Flagrante

Na mesma data da brutal agressão que resultou em morte, guardas civis municipais prenderam um homem, de 30 anos. Acusado de também golpear Heder, ele foi conduzido à Central de Polícia Judiciária (CPJ) e autuado em flagrante por tentativa de homicídio.

Com histórico de violência, ele confessou ter golpeado junto com um amigo a vítima, mas não revelou o nome do comparsa, contribuindo para a impunidade, até então, de "Macumba". O autuado já danificou uma viatura da Polícia Civil com um bloco de construção e ameaçou a mãe de morte e um irmão com uma faca. Os três casos foram registrados em boletins de ocorrência.

Usuários de crack

Segundo a delegada Deborah Lázaro e o investigador Benedicto Camargo, a vítima era usuária de crack e morava na rua, assim como os dois acusados. A equipe do 4º DP de Santos apurou que "Macumba" foi esfaqueado na véspera do crime e teria confundido Heder com o autor do atentado.

Com o propósito de se vingar, "Macumba" chamou o suspeito no dia seguinte e ambos agrediram Heder nas imediações de uma barraca de bebidas. A vítima estaria vestindo camiseta da mesma cor da usada pelo autor da facada, o que teria contribuído para confundir o acusado agora identificado.

A equipe do 4º DP de Santos identificou uma testemunha para a qual "Macumba" admitiu ter espancado a vítima, sob a justificativa de que se enganou. Com passagens por furto e roubo, ele foi preso após o homicídio, acusado de outro furto, e recolhido ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente. Agora, será indiciado pelo homicídio.