Logo A Tribuna
ASSINE
Icone usuario ENTRAR
CLUBE IMPRESSO ACERVO ASSINANTE

Quadrilha furta R$ 5 mil em produtos de loja em São Vicente; VÍDEO

Foram roubadas cerca de 100 peças entre biquínis e lingeries de estabelecimento localizado na Avenida Prefeito José Monteiro

Por: Por ATribuna.com.br & Ágata Luz &  -  10/03/21  -  20:47
Criminosos chegaram no comércio por volta das 19h45 desta terça-feira (9)
Criminosos chegaram no comércio por volta das 19h45 desta terça-feira (9)   Foto: Fotos: Arquivo Pessoal

Uma quadrilha furtou cerca de 100 peças de uma loja de variedades na noite de terça-feira (9) em São Vicente. Formado por três mulheres e um homem, o grupo se dividiu para distrair funcionários e praticar o crime. A ação foi flagrada pelas câmeras de segurança do estabelecimento.


A administração da loja, localizada no bairro Vila Valença, afirmou que o crime causou um prejuízo avaliado em quase R$ 5 mil, entre peças biquínis e lingeries.


Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!


De acordo com a gerente do local, Letícia Zanetti, de 23 anos, os criminosos chegaram no comércio por volta das 19h45. "Entraram quatro pessoas separadas e elas se juntaram dentro da loja", relata. Letícia explica que duas mulheres foram para o último corredor onde ficam biquínis e lingeries: "Elas colocaram uma sacola dentro do expositor de cintos. Enquanto uma terceira mulher vigiava, as duas iam pegando as coisas e enchendo a sacola".



Segundo narrado por Letícia e divulgado em vídeo, diversos itens foram colocados dentro de uma sacola preta. "Depois de encherem, o rapaz pegou a sacola e, enquanto as muheres distraíam as funcionárias, e saiu com as peças furtadas", finaliza.


Diante da situação, um Boletim de Ocorrência foi registrado no 1º Distrito Policial (DP) de São Vicente. A Polícia Civil já possui as imagens para localizar os criminosos. Até o momento, ninguém foi preso.


Vale destacar que, por conta da fase vermelha do Plano São Paulo, apenas serviços essenciais poderiam estar funcionando.


Logo A Tribuna