EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

16 de Novembro de 2019

Professora de Santos cai em golpe do código de WhatsApp e tem prejuízo de R$ 1.100

Mulher tentou anunciar carro em um site de negócios e foi vítima de estelionato. Polícia Civil investiga o caso

Golpe que faz vítimas em todo o país, o “roubo” do código do WhatsApp para a prática de outros estelionatos lesou uma professora moradora em Santos, de 33 anos. Segundo ela, tudo aconteceu logo após ela anunciar a venda de um carro no site de negócios OLX.

Um homem que se apresentou como representante do site de compra e venda ligou para a professora sob o pretexto de realizar a “validação do anúncio”. O golpista realizou o telefonema de um número celular prefixo 16, que é da região de Araraquara (SP).

Sem desconfiar, a vítima seguiu a orientação do falso representante do OLX, no sentido de informá-lo sobre uma sequência numérica recebida em seu celular por meio de mensagem de texto.

Imaginando que havia autorizado a validação do anúncio, a professora, na realidade, forneceu o código do seu WhatsApp, possibilitando a utilização da conta do seu aplicativo em outro aparelho.

De acordo com a vítima, o estelionatário se passou por ela para cerca de 20 dos seus contatos. O golpista lhes pediu dinheiro e um deles caiu no golpe, depositando R$ 1.100 em uma conta por ele informada.

“O golpista pediu para ser realizada a transferência eletrônica sob a justificativa de que o aplicativo do seu banco estava momentaneamente fora do ar. Ele prometeu devolver a quantia tão logo o sistema voltasse ao normal”, detalha a professora.

A mulher cuja conta de WhatsApp foi violada também relata que o estelionatário tinha várias opções de banco. Porém, ele indicou a mesma instituição da qual o contato da professora é correntista.

“A transferência entre agências do mesmo banco é imediata, não tem como cancelar”, finaliza a professora. Ela comunicou o episódio na Delegacia Sede de São Vicente e o delegado Daniel Pereira de Souza registrou o caso como “invasão de dispositivo informático”.

O celular prefixo 16 e a conta bancária para a qual houve a transferência dos R$ 1.100 foram informados pela professora à Polícia Civil. Esses dados são investigados na tentativa de se identificar os envolvidos no crime.

Caso idêntico

Na semana passada, uma advogada residente em Santos, de 46 anos, quase foi vítima de golpe semelhante. Ela anunciou a venda de um apartamento no OLX e, logo após, recebeu telefonema para a suposta validação do anúncio.

Desconfiada, ela não informou o código que recebeu em seu celular por meio de mensagem de texto. A advogada também entrou em contato com o site de compra e venda para informar o celular da pessoa que se passou por seu representante.

OLX alerta

O frequente uso de seu nome nesse tipo de estelionato motivou o OLX a postar em seu site alerta para o que denomina de “Golpe do WhatsApp”. A empresa orienta para que nunca se encaminhe a terceiros os códigos de verificação enviados ao celular.

“Reforçamos que a solicitação por telefone, chat e pelo aplicativo de mensagens WhatsApp de código de confirmação/código de segurança não é uma prática adotada pela OLX”, frisa o comunicado.

Tudo sobre: