EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

15 de Agosto de 2020

Polícia prende suspeito de estupro de manicure no Dia das Mães em Peruíbe

Caso aconteceu quando a mulher de 50 anos seguia de Peruíbe para casa da filha, na Área Continental de São Vicente

A Polícia Civil de Peruíbe prendeu um motorista de aplicativo suspeito de estuprar uma manicure de 50 anos, no Dia das Mães (10). O crime ocorreu quando a mulher seguia para a casa da filha, na Área Continental de São Vicente, para celebrar a data. O acusado de 41 anos foi localizado em Pedro de Toledo, no Vale do Ribeira. Ele teve a prisão temporária pedida nesta quarta-feira (20). 

A identificação do suspeito contou com o auxílio das imagens de câmeras do Centro Operacional de Peruíbe (COP). De posse das características do veículo do suspeito informadas pela vítima, os policiais passaram a acompanhar a movimentação pelo sistema informatizado de monitoramento. Foi essa rede de informação que apontou o momento exato que o carro passou pela Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na altura de Pedro de Toledo.  

Os policiais identificaram ainda que o motorista possuía as mesmas características do suspeito da violência sexual. Ele foi encaminhado para a Delegacia Sede de Peruíbe, onde ficará à disposição da Justiça. Segundo a Polícia Civil, ele se negou a fazer a coleta de material genético. 

Entenda o caso 

O caso aconteceu no domingo (10), Dia das Maes, quando a vítima estava a caminho da casa de sua filha, na Área Continental de São Vicente. Conforme informações da Polícia Civil, a vítima mora em Pedro de Toledo. Para se dirigir à casa de sua filha, pegou um ônibus para Peruíbe, onde embarcaria em outras conduções com destino final à Área Continental vicentina.  

No ponto de ponto de táxi, na Rua José Rubens Nogueira Souza, um homem se identificou como motorista de aplicativo e ofereceu a viagem. A vítima aceitou o trajeto e entrou num carro prata.  

Na altura do bairro Gaivota, em Itanhaém, ela percebeu que o condutor havia desviado do caminho indicado previamente combinado. À polícia, a vítima relatou que o suspeito conduziu o veículo em uma área periférica da cidade, parando em uma via deserta. 

Nesse instante, o homem exibiu uma arma de fogo e, sob grave ameaça, obrigou a vítima a manter relações sexuais com ele. Após o ato sem consentimento, o motorista andou mais um pouco com o carro e mandou a manicure descer, e entregasse celular e dinheiro.  

O agressor obrigou a manicure a colocar as mãos na cabeça e caminhar por uma rua, enquanto ele a acompanhava de dentro do carro, dirigindo bem devagar. Ele ordenada que a vítima disfarçasse quando avistava algum morador nas imediações. 

Após um período, o suspeito acelerou o carro e seguiu viagem. Desorientada, a vítima continuou andando e pediu carona para um motorista de um carro vermelho. O homem a acolheu. Contudo, conforme a evolução da conversa com o novo condutor, a manicure desconfiou que seria novamente vítima de agressão sexual. Em desespero, ela chorou e conseguiu descer do veículo. 

Tudo sobre: