Polícia Federal cumpre mandados em Santos por desvio de verbas na Saúde

Batizada de Operação Raio-X, ação é realizada em diversos municípios paulistas e em outros quatro estados

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (29), ação para desarticular suposta organização criminosa que desviava recursos da Saúde. Batizada de Operação Raio-X, foram expedidos pela Justiça 64 mandados de prisão temporária e 237 mandados de busca e apreensão em cidades paulistas, que incluem Santos. 

Assine A Tribuna agora mesmo por R$ 1,90 e ganhe Globoplay grátis e dezenas de descontos!   (  ) 

Cerca de 800 policiais e 40 servidores da Promotoria participam das atividades em dezenas de municípios do Estado de São Paulo, dentre eles Penápolis, Araçatuba, Birigui, Osasco, Carapicuíba, Ribeirão Pires, Lençóis Paulista, Agudos, Barueri, Guapiara, Vargem Grande Paulista, Santos, Sorocaba, bem como em cidades do Pará, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. 

 

 

Os agentes investigam eventual contratação de organizações sociais para gestão de hospitais de campanha para o combate à pandemia do novo coronavírus. Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pelas Varas de Birigui e Penápolis, no interior de São Paulo.  

Das ordens de busca, 180 são cumpridas em São Paulo e 57 em outras unidades da Federação. Um dos mandados é cumprido na Câmara Municipal de São Paulo, contra o chefe de gabinete do vereador Eliseu Gabriel e primeiro secretário do PSB. Os agentes também estiveram na Secretaria de Saúde do Estado para vasculhar duas salas – a de uma médica e a de uma advogada. 

As atividades foram abertas pela Polícia Civil e o Ministério Público do Estado para ‘desmantelar grupo criminoso especializado em desviar dinheiro destinado à saúde mediante celebração de contratos de gestão entre municípios e Organizações Sociais’. 

Segundo a PF, os crimes sob investigação são fraude em licitações, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

Tudo sobre: