EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

20 de Novembro de 2019

Polícia descobre esquema em que detentos do semiaberto vendiam drogas no CPP de Mongaguá

Detentos foram designados para pintura externa e interna da Delegacia de Peruíbe e teriam encomendado entorpecentes a serem entregues e, posteriormente, vendidos na penitenciária

Policiais da Delegacia de Peruíbe descobriram um esquema integrado por condenados do regime semiaberto, que tinha por objetivo introduzir drogas no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) Dr. Rubens Aleixo Sendin, em Mongaguá. Três detentos da unidade e um quarto homem foram presos em flagrante.

Em razão de convênio entre secretarias do Estado, por meio do Programa Via Rápida Expresso, detentos do CPP de Mongaguá foram designados para a pintura externa e interna da Delegacia de Peruíbe.

Supervisionado por agentes penitenciários e instrutores, o grupo de presos realizou durante oito dias os serviços de pintura, concluídos na última sexta-feira.

Porém, apesar da vigilância, alguns sentenciados teriam encomendado entorpecentes a serem entregues na própria delegacia, para que os levassem ao CPP de Mongaguá e ali os vendessem a outros presos.

Detentos realizavam a pintura da Delegacia de Peruíbe (Foto: Reprodução/Google)

De posse dessa informação, a equipe do delegado Marcos Roberto da Silva e do investigador Adalberto Eduardo Ribeiro apurou que o fornecedor das drogas seria Victor Henrique Messias Silva, o Toddy.

Na quarta-feira da semana passada, na residência de Toddy, localizada na Rua Prudente de Moraes, no Jardim Ribamar, em Peruíbe, os policiais civis apreenderam 100 porções de maconha já embaladas para a venda a varejo.

Dois detentos que trabalhavam nos serviços de pintura da delegacia foram apontados por Toddy como os destinatários da drogas. Os sentenciados negaram ter encomendado o tóxico. A suposta participação deles no esquema ainda é investigada. Toddy foi autuado em flagrante.

Outra apreensão

Polícia realizou apreensão de porções de maconha que seriam comercializadas no CPP (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Apesar da ação policial, surgiu a informação de que outros presos participantes da pintura da delegacia receberiam drogas na quinta-feira, na própria repartição, Os investigadores se posicionaram em pontos estratégicos e desconfiaram de três detentos.

Em dado momento, estes sentenciados se afastaram dos demais que pintavam a delegacia e se aproximaram de um Fiat Uno branco estacionado. Dois detentos ficaram vigiando lados opostos, enquanto um terceiro apanhou um pacote deixado em uma das rodas do carro.

Neste momento, os policiais saíram dos seus lugares de observação e abordaram os três detentos. No pacote havia 200 porções de maconha.

Os presos Rafael Jardim, Fábio José Santos da Silva e Rubens Murilo de Souza foram autuados em flagrante por tráfico. As investigações prosseguem para identificar quem deixou a droga na roda do veículo.

Tudo sobre: