EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

13 de Julho de 2020

Polícia Civil apreende 631 kg de maconha em Guarujá; um suspeito é preso

O entorpecente seria para abastecer diversos pontos de tráfico na Baixada Santista. Um homem de 49 anos foi preso em flagrante

Destinados a abastecer diversos pontos de tráfico de drogas, 631,6 quilos de maconha foram apreendidos na segunda-feira (29) à noite, em Guarujá, por policiais da 2ª Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes. A maior parte da droga – 596,6 quilos – estava na casa do caminhoneiro João Miranda Martins, o Bradock, de 49 anos. Os 35 quilos restantes foram achados no porta-malas do Renault Megane bege do acusado.

Há aproximadamente 15 dias, a equipe do delegado Rubens Eduardo Barazal Teixeira apurava esquema de distribuição de maconha na Baixada Santista. Ele seria comandado por um homem conhecido por Bradock. Dono de um Megane, o acusado utilizaria a sua residência, no Jardim Boa Esperança, em Vicente de Carvalho, para guardar grandes quantidades de entorpecentes.

Por volta das 20h30 de segunda-feira, os policiais da especializada souberam que o alvo das investigações usaria o carro para realizar uma entrega de drogas no posto de combustíveis localizado na esquina das ruas Professor Idalino Pinez (do Adubo) e Orsep Bozokian, no Jardim Boa Esperança. Apesar de os agentes estarem em uma viatura descaracterizada, provavelmente, Bradock desconfiou de que era vigiado e fugiu.

O caminhoneiro desembarcou do Megane e foi embora a pé. Até que os policiais também saíssem da viatura e se aproximassem, Bradock já havia escapado. Ao lado do automóvel monitorado havia um homem, que não portava nada de irregular, mas ficou bastante apreensivo com a chegada dos investigadores. Por falta de provas, ele foi liberado, mas eventual vínculo dele com a maconha ainda é averiguado.

Porta-malas e quintal

No porta-malas do Megane havia 30 tijolos de maconha. As investigações já haviam avançado o suficiente para apurar que Bradock reside na Rua Ézio da Costa Gama. Os policiais, então, seguiram até a moradia, onde estava apenas a mulher dele e dois filhos menores de idade do casal. Com a permissão dela, os agentes revistaram o imóvel e acharam mais 523 tijolos da droga no quintal. Eles estavam debaixo de uma lona.

A mulher alegou ignorar a presença da droga na casa, alegando que só o marido poderia explicar. No início da madrugada, enquanto a maconha era pesada na 2ª Delegacia, Bradock compareceu à unidade acompanhado do advogado Alexsander Santana de Castro. O acusado assumiu a propriedade de toda a maconha apreendida, inocentando a mulher e o homem abordado no posto ao lado do Megane.

Segundo Bradock, a maconha foi entregue em sua casa na última sexta-feira, durante a ausência da companheira. Ele foi autuado em flagrante por tráfico e recolhido à cadeia. A mulher depôs como testemunha, sendo liberada. O outro homem também foi ouvido e dispensado, mas as investigações prosseguem em relação a ele e também para descobrir os fornecedores e destinatários dos 631,6 quilos de maconha.

Tudo sobre: