Polícia Ambiental apreende mais de mil metros de rede de pesca irregular na Baixada Santista

Em uma das redes foi possível localizar animais ainda vivos, que foram devolvidos ao mar

Duas redes de pesca irregulares foram apreendidas nas cidades de Santos e São Vicente nessa quinta-feira (7), por equipes da Companhia da Polícia Militar Ambiental Marítima do 3° Batalhão de Polícia Ambiental. Ao todo, 1.300 metros de rede foram flagrados durante o Policiamento Ostensivo Náutico. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Na entrada da barra de Santos, foi localizada uma rede "fantasma", com sinais evidentes de que estava solta no mar a bastante tempo, sendo imediatamente recolhida, onde haviam dezenas de peixes em estado de decomposição.

Sedimentos ficaram acumulados em uma das redes (Foto: Divulgação/CiaMar)

Já no Parque Estadual Xixová Japuí, em São Vicente, foi identificada uma rede em local proibido e sem identificação. Durante o recolhimento do objeto foi possível devolver ao mar mais de vinte peixes vivos.

As duas redes de espera eram do tipo "boiada", método não permitido de acordo com as leis vigentes. Até o momento não foi possível identificar os responsáveis pelas redes.

A utilização de redes de pesca irregulares ou em local proibido geram a morte de espécies marinhas, como as tartarugas e toninhas (espécie de golfinho de pequeno porte) que estão em risco de extinção, onde se enroscam e morrem afogadas por não conseguir emergir para respirar.

Quem precisar denunciar pode entrar em contato com a Polícia Ambiental pelo telefone (13) 3348-4750.

Tudo sobre: