EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

3 de Agosto de 2020

Operação da Polícia Civil em Itanhaém prende ex-presidente da Câmara da cidade

Batizada de 'Operação Coche', objetivo foi o combate ao crime organizado, tráfico de drogas e transportes irregulares

A Operação Coche, da Polícia Civil, foi deflagrada pela Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Itanhém nesta segunda-feira (6) com a finalidade de desarticular a atuação de uma facção criminosa que atua no tráfico de drogas e transporte clandestino. Foram expedidos 11 mandados de busca e apreensão e nove de prisão temporária, inclusive contra um ex-vereador da cidade.

A operação resultou na prisão de oito suspeitos e na apreensão de diversos tipos de drogas e objetos de origem ilícita em depósitos. Houve participação de 28 policiais e nove viaturas, que percorreram os bairros Tropical, Sabaúna, Savoy, Umuarama, Belas Artes, Jardim Ibera, Suarão, e Centro, dentre outros, em Itanhaém.

Os policiais localizaram e prenderam duas mulheres (24 e 40 anos), e seis homens (29, 21, 32, 37, 51 e 57 anos de idade). No total foi apreendido 151 porções de cocaína (845 gramas), 5 porções de maconha (68 gramas) e 28 pedras de “crack” (11 gramas). Foi apreendida uma pistola calibre 45, e diversas munições de diferentes calibres, além de valores em dinheiro, um ‘notebook’, 16 aparelhos de telefone celular, documentos e ainda um veículo, todos objetos utilizados para prática de crimes.

“Outras ações investigativas estão sendo tomadas para identificar e prender outros eventuais agentes criminosos que estejam envolvidos nesse tipo de crime na região”, disse o Delegado Titular da DISE Itanhaém, Bruno Mateo Lazaro.

Ex-vereador

Um dos alvos da operação foi o ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Itanhaém, Valdir Gonçalves Mendes, o 'Valdir do açougue', segundo informações da TV Tribuna. Ele foi localizado em uma imobiliária da cidade e não resistiu à prisão. Há indícios de que ele teria recebido o auxílio emergencial do Governo Federal por conta da Covid-19 sem atender aos critérios necessários para a obtenção do benefício.

A investigação também aponta a participação de empresários de Itanhaém em atividades de interesse de uma facção criminosa. Estes empresários teriam realizado movimentação para eleger candidatos a cargos na Prefeitura de Itanhaém, alinhados aos interesses da organização criminosa. 

A polícia identificou que os responsáveis pelo transporte clandestino no município foram alvo de extorsão por parte da facção. Dessa forma, eles deveriam pagar um valor em dinheiro diariamente para realizar o transporte irregular.

A Operação Coche teve participação do Grupo de Operações Especiais (GOE) e Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) de Santos.

Tudo sobre: