EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

19 de Setembro de 2019

Mulher 'em fúria' e embriagada agride pessoas e ofende PM em Praia Grande: 'Macaco nojento'

Mulher também agrediu policial com um soco no rosto. Suspeita foi presa e responderá pelos crimes de desacato, desobediência, resistência, agressão, injúria e danos

Uma mulher de 30 anos foi presa em flagrante depois de agredir duas pessoas e ofender um policial militar em Praia Grande. O crime ocorreu na sexta-feira (6), no bairro Vila Mar. A Tribuna On-line apurou que a mulher dirigia um carro embriagada, fato comprovado por meio do teste do etilômetro.

Equipes da PM abordaram a suspeita enquanto ela transitava em um automóvel com os pneus estourados. A cena chamou atenção dos policiais, que viram as rodas do carro produzindo faíscas.

A condutora chegou a tentar fugir da abordagem, só parando o veículo mais adiante. Quando desceu do automóvel, passou a agredir um dos PMs com socos no rosto. Ela ainda o xingou de “macaco nojento”.

Após ser contida e algemada, a motorista foi levada à Delegacia Sede de Praia Grande. Enquanto a ocorrência era elaborada, outras pessoas compareceram ao distrito alegando que teriam sido agredidas por uma mulher “em fúria” que conduzia um veículo branco.

Testemunhas afirmam que mulher 'em fúria' conduzia um veículo HB20 branco (Foto: Reprodução)

Uma das vítimas levou um soco na boca, foi empurrada ao chão depois de ter seus cabelos puxados. Já outra vítima, um rapaz, afirmou que teve sua barriga mordida, além de ter recebido diversos chutes.

Em seguida, de acordo com os relatos, a mulher fugiu do local em direção à comunidade Caieiras. 

Um homem foi mordido e levou vários chutes (Foto: Reprodução)

A mulher foi autuada em flagrante. Já sobre a ofensa racista ao PM, o delegado apenas consignou em histórico. Segundo consta no boletim de ocorrência, ela não tinha relações com as vítimas, e o teste do etilômetro (bafômetro) testou positivo para embriaguez.

Todas as vítimas foram encaminhadas ao Pronto Socorro  do Quietude. Elas foram medicadas e, posteriormente, liberadas. A mulher foi recolhida à carceragem e enquadrada pelos crimes de desacato, desobediência, resistência, agressão, injúria e danos.