Mulher é detida com drogas em calcinha com enchimento no CDP de São Vicente

Outros três flagrantes de transporte de entorpecentes no corpo foram registrados na cidade e de Praia Grande

Por: De A Tribuna On-line  -  12/11/18  -  14:31
  Foto: Divulgação/SAP

Quatro mulheres foram barradas tentando entrar com drogas dentro de unidades prisionais da Baixada Santista, no domingo (11). Ao todo, foram apreendidas 668 gramas de drogas, escondidas em órgãos genitais e no 'bojo' de uma calcinha que aumenta o bumbum, em São Vicente e Praia Grande.


Segundo informações da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), os flagrantes ocorreram graças a imagens geradas por scanner corporal. O primeiro dele foi durante a manhã de ontem, no Centro de Detenção Provisória (CDP) Luís César Lacerda, em São Vicente.


Uma mulher, de 36 anos, carregava 265 gramas de maconha escondidas na calcinha. A droga foi acomodada em um bojo, na região das nádegas, na tentativa de despistar os agentes da unidade.


Ainda durante a manhã, mas na Penitenciária Dr. Geraldo de Andrade Vieira, conhecida como P1, também em São Vicente, uma visitante de 28 anos chamou a atenção de funcionárias da unidade por portar um objeto estranho na região pélvica.


Drogas também foram apreendidas em CPD de Praia Grande, no domingo (11)
Drogas também foram apreendidas em CPD de Praia Grande, no domingo (11)   Foto: Divulgação/SAP

A jovem foi passou por exame de raio-X no Pronto Socorro local, que constatou a presença de um invólucro com 166 gramas de maconha nos órgãos genitais. Mais tarde, mas na Penitenciária 2 da mesma cidade, outra jovem de 24 anos também repetiu a prática para transportar invólucros com 70 gramas de maconha e 51 gramas de cocaína na vagina.


Em Praia Grande, por volta das 12h, a mãe de um recluso do Centro de Detenção Provisória Charles Demitre Teixeira, o CDP da cidade, também transportava 116 gramas de maconha escondidas no órgão genital. A mulher, de 40 anos, admitiu que trazia a erva e retirou o conteúdo espontaneamente em sala reservada.


As quatro foram encaminhadas para a delegacia de polícia sede de cada município, onde foi registrado boletim de ocorrência. Todas tiveram os nomes suspensos do rol de visitas da SAP, e as direções das unidades prisionais enviaram comunicados para a Vara de Execuções Criminais, além de instaurarem Procedimento Disciplinar Apuratório.


Logo A Tribuna