EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

Homem que usava agenda da escola de filho para anotações do tráfico é preso em Santos

Ele vendia drogas nas imediações da Unidade Municipal de Educação (UME) dos Andradas, no BNH-Aparecida

Um homem suspeito de vender drogas nas imediações da Unidade Municipal de Educação (UME) dos Andradas, no BNH-Aparecida, foi preso nesta quinta-feira (19). Ele usava a agenda escolar do próprio filho, aluno do colégio, para registrar a contabilidade do tráfico de drogas.

Fornecida pela prefeitura e destinada à comunicação entre os professores e os pais dos estudantes, a agenda teve folhas com essas anotações arrancadas. Ao examinar as que ainda restavam, policiais da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) tiveram uma surpresa.

Em uma das páginas, escrita com caneta esferográfica azul, uma relação de nomes com valores está precedida pelo título “cliente devedor”. Entre os inadimplentes mencionados, estão a “Tia da Nega”, o “Motoboy Velho”, o “Taxista” e o “Uber Gordão”, só para citar alguns. Sobrou até para a “Velhinha da Bike”.

Essas anotações se contrapõem com a finalidade da agenda, especificada em etiqueta colada na contracapa: “Mamãe/papai. Esta é minha agendinha, que deverá me acompanhar diariamente dentro da mochila”.

Denúncias anônimas

Entorpecentes, dinheiro e celular foram apreendidos com o traficante (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A partir de ligações ao telefone 3228-6412, da Dise de Santos, noticiando a venda de entorpecentes na frente e nas imediações da UME dos Andradas, a equipe do delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior e do investigador Paulo Carvalhal passaram a apurar a veracidade das denúncias.

Os policiais Lindolfo Santa Rosa e Adriano Piemonte sabiam apenas que o comércio de drogas seria exercido por um homem chamado Rodrigo, “dono de um Fiat Palio vermelho”. Inicialmente, o carro foi identificado e ele, de fato, era conduzido por um homem que se chama Rodrigo Pinto de Moraes, de 36 anos.

Após monitorar a movimentação do veículo por cerca de um mês, identificar o motorista e apurar o seu endereço, no próprio BNH-Aparecida, os investigadores decidiram abordar o acusado na manhã desta quinta. Ele estava em uma praça próximo à escola, supostamente vendendo drogas, e foi preso ao retornar ao Palio para buscar mais entorpecentes.

Rodrigo guardava no carro 22 cápsulas de cocaína, 20 porções de maconha e R$ 214 em cédulas de pequeno valor. No porta-malas havia três embalagens fechadas contendo o total de 3 mil cápsulas vazias, do mesmo tipo usado para o acondicionamento de drogas.

Como já haviam descoberto o endereço de Rodrigo, na Rua Frei Francisco Sampaio, a equipe da Dise foi até o apartamento dele. Debaixo do sofá, em uma sacola, havia tabletes de maconha pesando 1,3 kg e 42 porções da erva, 30 cápsulas e 8 gramas a granel de cocaína, a agenda escolar com a contabilidade da venda de drogas, duas balanças e outros materiais relacionados ao tráfico.

Em outro endereço frequentado por Rodrigo, também na Aparecida, havia mais 230 gramas a granel de cocaína. Apesar de algemado, o acusado tentou fugir correndo. Ele caiu e deslocou a clavícula, sendo medicado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central. O delegado Lara o autuou em flagrante por tráfico agravado pelo fato de o crime ocorrer nas imediações de escola.

Tudo sobre: