Homem mata o próprio primo por suspeita de traição com a mulher em Praia Grande

Crime aconteceu na manhã de segunda-feira (14), no Parque das Américas. Vítima, de 31 anos, chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos

Por: Eduardo Velozo Fuccia  -  14/01/19  -  22:36
Após o crime, homem fugiu em seu carro, mas foi encontrado pela polícia
Após o crime, homem fugiu em seu carro, mas foi encontrado pela polícia   Foto: Divulgação/Polícia Civil

Desconfiado de que a mulher o traía com o seu primo, um pedreiro de 43 anos o matou a tiros, na manhã desta segunda-feira (14), em Praia Grande. Além de parentes, acusado e vítima eram vizinhos.


A vítima, um motorista de 31 anos, foi baleada no momento em que saía de casa com destino ao trabalho. Ele chegou a ser levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Samambaia, mas não resistiu aos ferimentos.


O crime aconteceu na Avenida Almeida Júnior, no bairro Parque das Américas. Após os tiros, o acusado pegou o capacete e a Honda CG 150 Fan vermelha do primo, fugindo com o veículo.


Pelo vitrô de casa, a mulher do motorista viu o suspeito fugindo com a moto do marido. Em depoimento, ela alegou que não chegou a presenciar o homicídio, mas escutou o barulho dos disparos.


A moto foi abandonada logo em seguida, na Avenida Jairo de Camargo Martins, paralela à Almeida Júnior. Deste local, o pedreiro prosseguiu a fuga com o seu Golf cinza, ingressando na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na pista sentido Litoral Sul.


Pedreiro usou a motocicleta da vítima para fugir do local do crime
Pedreiro usou a motocicleta da vítima para fugir do local do crime   Foto: Divulgação/Polícia Civil

Informados sobre o homicídio e o automóvel do acusado, policiais militares avistaram o carro transitando pela Avenida Alberto Simões, no Ivoty, em Itanhaém. O pedreiro obedeceu de imediato à ordem de parada e confessou o homicídio.


O revólver Taurus calibre 38 que ele usou no assassinato foi apreendido no porta-malas. Com quatro munições intactas e três deflagradas, a arma foi comprada de um desconhecido por R$ 2 mil, há dois anos, segundo declarou o acusado. O pedreiro portava a quantia de R$ 3 mil. Ele disse que a sacou em um caixa eletrônico após o crime para custear as despesas com a sua fuga. Em depoimento, ele não tinha local definido para ir.


Conduzido ao 2º Distrito Policial de Praia Grande (Caiçara), em cuja área foi cometido o delito, o pedreiro foi autuado em flagrante pelo delegado Flávio Goda Magário por homicídio qualificado. A pena do crime varia de 12 a 30 anos de reclusão.


Segundo o delegado, o pedreiro declarou que procurou a vítima para indagá-la sobre suposto relacionamento que ela manteria com a mulher dele. Porém, ainda conforme o acusado, o primo partiu em sua direção, e ele efetuou os disparos “para se defender”.


Arma utilizada no crime foi encontrada e apreendida pela polícia
Arma utilizada no crime foi encontrada e apreendida pela polícia   Foto: Divulgação/Polícia Civil

Logo A Tribuna