EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Homem invade casa e ameaça matar ex-mulher e filhos em Praia Grande

Vítima deu queixa à polícia depois que acusado invadiu a casa dela com arma de fogo, isqueiro e álcool

Um homem ameaçou matar a ex-companheira e os cinco filhos dela, na madrugada de sábado (19), em Praia Grande. Ela se separou do homem por causa de agressões que havia sofrido. O acusado não foi achado até o fechamento desta edição. 

A vítima, de 42 anos, conta que estava em casa. O homem conseguiu entrar na casa pela janela. Com o barulho e um forte cheiro de álcool, a mulher acordou, por volta das 4 horas da madrugada. 

O ex-marido estava com um isqueiro, álcool e uma arma de fogo. Ele disse que era para a mulher “acordar” porque ele iria matá-la e os filhos, que têm entre 1 e 12 anos de idade. As crianças estavam dormindo. 

A vítima conta que ele chegou a apontar a arma para os filhos e para ela e implorou para que o autor não fizesse aquilo. Com o barulho decorrente da discussão, as crianças começaram a acordar. 

Após a discussão, o marido disse que não atearia fogo neles, desde que, em 24 horas, ela retirasse todos os processos que tem contra ele. Do contrário, como relatou, ele “buscaria um por um” até matá-la, fugindo, em seguida, pela janela da casa. Por fim, também teria afirmado que, se a mulher buscasse ajuda da polícia, iria matá-la. 

Na Polícia  

Logo depois que o ex-marido saiu, a mulher ligou para a polícia. Os agentes foram até o local, mas não encontraram o investigado. Eles foram para a delegacia e, enquanto ela estava ali registrando a ocorrência, o ex-marido ligou. 

Com a anuência dos policiais, ela atendeu. Ele perguntou onde a vítima estava, e ela disse que permanecia em casa. Ele, então, declarou: “Saia aqui na frente, então”. Ela se recusou. Foi quando ele disse: “Eu sei onde você está, eu vi duas viaturas de polícia passarem. Eu te avisei”.  

Nesse momento, a polícia seguiu para a casa da vítima, mas o investigado não estava. 

A mulher prestou queixa contra o marido e teve cumpridas as medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha. 

O caso foi registrado na Delegacia Sede de Praia Grande.  

Tudo sobre: