Homem é acusado de assassinar o ex-cunhado dentro de bar em Praia Grande

Caso aconteceu na última quinta-feira (3) no bairro Vila Antártica. Autor dos disparos ainda não foi encontrado pela polícia

Por: Eduardo Velozo Fuccia  -  05/01/19  -  10:39

Carlos Eduardo da Silva Ferreira, de 39 anos, foi reconhecido como autor do assassinato a tiros do ajudante de pedreiro Éwerton Henrique de Jesus Batista, de 26, seu ex-cunhado. O homicídio aconteceu na última quinta-feira (3), dentro de um bar, em Praia Grande.


O acusado fugiu e ainda não foi localizado. Inicialmente, o crime era de autoria desconhecida, mas foi esclarecido na própria quinta-feira (3) pela equipe do delegado Sérgio Lemos Nassur e do investigador Nivaldo Ribeiro, da Delegacia de Praia Grande.


“Apuramos que o assassinato teve motivo passional e que Éwerton fora vítima de atentado a tiros no dia 14 de março do ano passado. Naquela ocasião, ele discutiu com a mulher e Carlos Eduardo interveio em favor da irmã, disparando no cunhado”, disse Ribeiro.


Éwerton escapou ileso e sequer procurou a polícia, provavelmente por temer represálias. Por isso, Carlos Eduardo foi autuado em flagrante apenas pelos delitos de porte ilegal e disparo de arma de fogo, não ficando por muito tempo preso.


De posse do nome e da fotografia do acusado, os policiais civis procuraram duas testemunhas do homicídio. Elas não tiveram dúvidas em reconhecer por foto Carlos Eduardo como quem executou com cinco tiros o ajudante de pedreiro no bar.


O comércio está situado na Rua Samael Aun Weor, no Antártica. Morador no mesmo bairro, o acusado foi procurado em sua residência, não sendo encontrado. Familiares de Carlos Eduardo alegaram ignorar o seu paradeiro.


Tudo sobre:
Logo A Tribuna