EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

5 de Agosto de 2020

Homem é acusado de espancar namorada por ciúmes e a levar morta de Uber até hospital

Nicholas Forman foi detido sob a acusação de assassinato após a vítima receber mensagem do ex-namorado. Caso ocorreu nos Estados Unidos

Nicholas Forman, um jovem de 23 anos, foi acusado de espancar até a morte sua namorada, Sabrina Harooni, de 22, após ela ter recebido uma mensagem de texto de seu ex-namorado. Nicholas a levou, já morta, de Uber até um hospital. O caso ocorreu no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos.

Sabrina chegou à unidade de saúde com o corpo já gelado, hematomas no pescoço, sangue seco no nariz e resquícios de vômito na boca. Segundo os enfermeiros que a atenderam, suas pupilas foram “explodidas”. Os médicos também indicaram que havia lascas de madeira na calça da jovem.

A versão de Nicholas Forman foi de que sua até então namorada havia sido atacada por três mulheres. Mas os investigadores desconfiaram e o prenderam.

De acordo com a emissora norte-americana NBC, Forman disse aos investigadores que ele e Sabrina haviam ido a um bar assistir ao Super Bowl, no último domingo (2), e lá eles teriam se envolvido em uma briga com outras três mulheres.

Forman contou que estava em liberdade condicional após ser condenado por dirigir sob a influência de entorpecentes em 2017 e, por este motivo, ele não teria entrado na confusão, apenas Sabrina - que, segundo o testemunho, teria dado seu endereço às mulheres para caso decidissem continuar a briga mais tarde.

O motorista que levou o casal de volta para casa nesta noite também foi interrogado. Ele afirmou que Sabrina, durante a viagem, brincou com o fato de ter recebido uma mensagem de texto enviada por um ex-namorado, o que deixou seu parceiro furioso. Ainda durante o trajeto, Forman teria “exigido” o celular dela, o que a deixou assustada, de acordo o motorista.

Após o casal sair do carro, o motorista disse que percebeu que Forman ainda estava insistindo para pegar o celular da namorada. Então, o funcionário da Uber fingiu ir embora, enquanto retornava à casa para verificar se estava tudo bem. Ao passar novamente pelo local, o motorista relatou que ouviu o rapaz gritar que não deixaria sua namorada entrar até que ela entregasse seu aparelho a ele. 

Ao amanhecer, o suspeito solicitou outra corrida por meio do aplicativo. Ele também estava com Sabrina, mas ela já estava morta e o destino era um hospital.

A polícia revistou a casa de Forman e encontrou uma mecha de cabelo semelhante à da vítima na calçada da frente. Havia sangue no tapete e nas roupas de cama, dentro da residência.

Mas foi no telefone da jovem que os policiais encontraram a principal prova do crime. Havia um vídeo mostrando Sabrina deitada no gramado, enquanto uma voz masculina gritava: “É isso que uma traidora mentirosa ganha. Você está me ouvindo? Traidora mentirosa”.

Também foi encontrada uma foto, tirada pouco antes da meia-noite de domingo, de Sabrina deitada na grama com cabelos desgrenhados e, aparentemente, inconsciente.

Forman foi detido, no dia seguinte, sob a acusação de assassinato em primeiro e terceiro grau. Um vídeo, publicado nas redes sociais mostra o momento da prisão. O suspeito estava algemado, alegando inocência. “Eu não fiz isso. Três garotas [fizeram]. Não eu. Isso é loucura”, aclamava. 

* Com informações do portal Vogue.

Tudo sobre: