Grupo é detido por desmatamento e construções ilegais em Praia Grande

A Guarda Ambiental realizou ação especial no Bairro Ribeirópolis durante três dias

Por: ATribuna.com.br  -  25/10/22  -  16:32
Quatro homens foram detidos e encaminhados para a delegacia
Quatro homens foram detidos e encaminhados para a delegacia   Foto: Divulgação/Prefeitura de Praia Grande

A Guarda Ambiental de Praia Grande, entre sábado (22) e esta segunda-feira (24), impediu a instalação de barracos clandestinos na região do Bairro Ribeirópolis. Quatro homens foram detidos e encaminhados para a delegacia. Os flagrantes são fruto da intensificação das ações no local, alvo constante de investidas de infratores que buscam se beneficiar ocupando áreas de preservação ambiental.


Clique, assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe centenas de benefícios!


No sábado (22), duas construções foram localizadas na Avenida Maria Fernandes Stivaleti, uma estava vazia e a outra o ocupante identificado como proprietário foi levado para a delegacia. No mesmo dia, em uma área de mata do bairro, foi flagrado um homem no momento em que cortava a vegetação, com ele foram apreendidas ferramentas usadas no desmatamento. O indivíduo também foi levado à delegacia.


Já no domingo (23), o flagrante ocorreu em um barraco que foi erguido de forma precária no meio da região de mata, localizado no final da Rua Ilda Rosa Cunha. O suposto dono foi identificado e conduzido para a delegacia por crime ambiental. Um outro homem foi detido, na segunda-feira (24), em uma construção irregular erguida em área de mata cujo acesso é feito por meio da mesma rua.


Em todos os casos, os crimes ambientais aconteceram em áreas consideradas “congeladas” pelo Município, que são regiões invadidas cujo os moradores mais antigos foram cadastrados pela Secretaria de Habitação (Sehab) e aguardam a inclusão em programas habitacionais do Município. Segundo a Prefeitura de Praia Grande, essas áreas são constantemente monitoradas por câmeras, imagens de satélites e drones.


“Contamos com a colaboração dos que já ocupam a área no sentido de evitar a expansão ou adensamento do núcleo, mas muitas vezes o que vemos é o contrário e alguns colaboram para novas invasões”, explica o inspetor da Guarda Ambiental da Cidade, Fábio Marques.


Denúncias de invasões podem ser realizadas por meio do telefone 153, da Guarda Ambiental, ou pelo 162, o canal da Ouvidoria Municipal.


A Prefeitura de Praia Grande conta com uma Comissão Especial de Proteção das Áreas de Preservação. O principal objetivo é identificar todas as ocupações desordenadas em áreas de preservação e risco, estabelecendo as medidas necessárias para a proteção desses espaços e também das famílias ocupantes. O órgão é composto por representantes das secretarias de Habitação (Sehab), Meio Ambiente (Sema), Urbanismo (Seurb), Assuntos de Segurança Pública (Seasp), além da Procuradoria Municipal.


Logo A Tribuna
Newsletter