Estado de SP bate recorde na apreensão de drogas no 1º bimestre do ano

Forças de segurança tiraram das ruas mais de 40 toneladas de entorpecentes em janeiro e fevereiro

O trabalho das polícias paulistas permitiu a apreensão de 40,2 toneladas de entorpecentes em janeiro e fevereiro deste ano. A quantidade é 67 vezes maior que a recolhida nos dois primeiros meses de 2001 (600,7 quilos) – primeiro ano da série histórica.

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

No mesmo período, a droga mais apreendida pelos policiais foi a maconha com 33,7 toneladas, seguida pela cocaína 4,6; crack 500 quilos e 1,4 toneladas de outras substâncias ilegais. 

Além de ser o maior total de drogas apreendidas em 20 anos, a quantidade representa um aumento de mais de 120% na quantidade de entorpecentes apreendidos no 1º bimestre de 2020, quando foram recolhidas 18,1 toneladas, sendo 13,6 de maconha, 3,7 de cocaína, 0,1 de crack e 0,7 de outros. 

Ainda ao longo dos dois primeiros meses de 2021, as atividades das polícias paulistas permitiram em 24.808 prisões e na apreensão de 1.865 armas de fogo ilegais. Além disto, foram registrados 6.812 flagrantes por tráfico de drogas.

Todo esse resultado foi obtido por meio do forte trabalho investigativo da Polícia Civil e do policiamento ostensivo da Polícia Militar que, em diferentes locais, conta com o apoio de Batalhões de Ações Especiais de Polícia (Baep) – unidades que atuam de forma semelhante aos padrões do policiamento de choque.

Há que destacar também as megaoperações como as São Paulo, Rodovia e Interior Mais Seguro, realizadas desde o início da nova gestão, com o empenho do policiamento rodoviário e de outras unidades especializadas, para reforçar o policiamento em locais estratégicos, contribuir com a redução dos indicadores criminais, combater o crime e aumentar a percepção de segurança das pessoas.

“O volume de drogas apreendidas no Estado de São Paulo tem aumentado significativamente, fruto da expertise dos profissionais empenhados no trabalho diário, do uso da tecnologia e da inteligência policial aplicada no combate ao crime, com o monitoramento das rotas possíveis rotas e caminhos do tráfico”, ressaltou o capitão Fernando Souza, porta-voz do Comando de Policiamento Rodoviário (BPRV), responsável pelo patrulhamento em toda a malha viária estadual paulista.

Tudo sobre: