DIG apreende mais de uma tonelada de maconha e prende três em Guarujá

Droga abastecia vários pontos de tráfico da Baixada Santista e outras regiões

Por: Eduardo Velozo Fuccia  -  09/12/18  -  16:31
  Foto: Divulgação

Um grande esquema de tráfico de maconha, responsável por abastecer vários pontos de venda da droga na Baixada Santista e até em outras regiões, foi desarticulado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos. Em uma casa alugada em Guarujá, os agentes apreenderam 1,1 tonelada do entorpecente. Três homens foram presos em flagrante, mas outros envolvidos na organização criminosa já estão na mira dos policiais.


A residência utilizada pela quadrilha fica na Rua Três, 163, no Jardim Virgínia. Nela foram presos Tawan da Costa Resende, de 19 anos, e Patrick Rock dos Santos, de 18. Momentos antes, em um posto de combustíveis da Avenida D. Pedro I, na Enseada, havia sido capturado Erwinks Thompson Martins, de 24 anos. Os três rapazes residem no Distrito de Vicente de Carvalho.


A equipe do delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior e do investigador Paulo Carvalhal apurava informação de que um Renault Logan prata era utilizado no transporte de grandes quantidades de maconha em Guarujá. Após o carro ser identificado, ele passou a ser seguido. Por meio desse trabalho, os policiais descobriram que o veículo ia com frequência à casa do Jardim Virgínia.


Na última sexta-feira (7) à tarde, o Logan saiu do imóvel. Em uma viatura descaracterizada, policiais o seguiram, interceptando-o no posto de combustíveis. Erwinks era quem dirigia o automóvel e não soube explicar a razão de haver resíduos de maconha atrás dos bancos e no porta-malas. O acusado também portava uma chave, que afirmou ser da casa de uma “tia”, mas não soube informar o nome e o endereço dela.


Diante das respostas evasivas de Erwinks, os investigadores foram até a residência da Rua Três. Durante o trajeto, o jovem percebeu que a equipe da DIG já sabia da casa utilizada como entreposto de maconha e admitiu ter saído de lá com o Logan. Acrescentou ainda que haveria mais quatro pessoas no imóvel. De posse da chave apreendida com o acusado, os policiais abriram a moradia.


Enquanto entravam na casa, os investigadores ouviram barulho de pessoas correndo. Dois homens escaparam pelos fundos e dispararam durante a fuga, mas não acertaram os agentes. Tawan e Patrick tiveram menos sorte, porque o telhado de uma residência vizinha não suportou o peso deles e se rompeu. Ambos foram capturados, sendo Tawan socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).


Em uma mesa havia maconha, que era cortada e embalada. Mais tijolos e porções a granel do entorpecente foram encontrados em outros pontos da residência. A pesagem da droga totalizou 1.153 quilos. Os investigadores ainda apreenderam oito balanças, quatro cadernos com anotações sobre a contabilidade do tráfico, material para acondicionar tóxicos e 23 munições de pistola calibre 380.


O delegado Luiz Eduardo Lino de Souza autuou o trio em flagrante. Nas diligências preliminares, Tawan era quem foi visto dirigindo o Logan. O carro está cadastrado em nome de uma mulher, que será intimada para prestar esclarecimentos. O imóvel do Jardim Virgínia não era usado como moradia, mas exclusivamente como central de preparo e distribuição de drogas, porque estava com água e energia elétrica cortadas.


Logo A Tribuna